No Dia Internacional da Cerveja, 10 rótulos catarinenses que você precisa conhecer

Foto: Divulgação

Dia Internacional da Cerveja e sexta-feira. Coincidência? Os dois fatos combinam tão bem que, para garantir a conexão, convidamos a sommelier de cerveja Larissa Guerra, da Cozinha Catarina, para listar 10 rótulos catarinenses que você precisa conhecer.

— O critério é bem pessoal, leva em conta minhas preferências e cervejas que considero importantes para se entender o cenário cervejeiro catarinense. Muita coisa boa ficou de fora, como é típico das listas, né? No fim das contas, importante mesmo é provar, saborear, se possível, harmonizar, valorizar e celebrar as produções locais — explicou Larissa.

Confira as sugestões:

1 – Blumenau Catharina Sour Sun of a Peach

blumenau catharina
Fotos: Divulgação

(Blumenau, teor alcoólico 4,1%)

Eu começaria comemorando com uma Catharina Sour, e esta da Blumenau já é quase um clássico do estilo – o primeiro brasileiro a ser listado no BJCP, uma das principais referências para os cervejeiros do mundo. A cerveja é leve, frisante e equilibra muito bem a acidez típica das sours com as notas frutadas do pêssego. Harmoniza muito bem com frutos do mar ou uma boa salada.

2 – Lohn Bier Carvoeira

(Lauro Müller, 9%)

Não é à toa que esta foi a cerveja brasileira mais premiada em concursos no ano passado. É uma Imperial Stout que leva funghi e cumaru (a baunilha brasileira) na receita, resultando em uma bebida potente, com notas de cogumelo, chocolate, café e baunilha. É um ótimo par para sobremesas à base de chocolate ou leite, além de carnes mais fortes, como as de caça.

3 – Eisenbahn Lust

(Blumenau, 11,5%)

Foi a primeira cerveja brasileira a ser produzida pelo método de champenoise – sim, o mesmo usado na fabricação de espumantes. É uma cerveja muito sofisticada, apresenta notas frutadas, doces e delicadas. No paladar, é refrescante. Combina muito bem com sobremesas, pratos da cozinha japonesa ou com entradas leves, como um carpaccio ou uma salada.

4 – Itajahy Octoporter

(Itajaí, 5,1%)

Outra supercampeã de premiações mundo afora, esta Robust Porter foi criada para homenagear o Porto de Itajaí. O café predomina no paladar e no aroma, que ainda lembra chocolate amargo e traz notas terrosas típicas dos lúpulos inglesas. Vai bem com feijoada, brownie de chocolate, carnes defumadas.

5 – Coza Linda Praia do Meio Wood Aged Sour

(Florianópolis, 6,2%)

Experimentei dias atrás e foi amor ao primeiro gole. É uma ale que passa refermentação em barril de carvalho, o que traz uma complexidade de aromas muito interessante à esta cerveja. No paladar, tem uma acidez equilibrada, elegante. Não é cansativa, e deve combinar muito bem com frutos do mar, ceviche e cheesecake.

6 – Bierland Pilsen

(Blumenau, 4,8%)

Medalha de ouro no Concurso Brasileiro de Cervejas neste ano, a Bierland Pilsen é uma cerveja leve, refrescante e fácil de beber, daquelas que agradam todos os paladares. Ótima para saborear com comidinhas de boteco, peixe frito, camarão à milanesa, pastel de queijo.

7 – Schornstein IPA

(Pomerode, 6,5%)

Para quem curte cervejas com mais amargor, a Schornstein IPA é um tiro certo. Combina aromas cítricos e herbais dos lúpulos com o caramelo do malte e resulta em uma cerveja que não perde em nada para exemplares originais da Inglaterra. Hambúrguer, carnes, pizza de calabresa, torta de limão e bolo de laranja são boas combinações para ela.

8 – Bierbaum Weizenbock

(Treze Tílias, 7,6%)

A versão de inverno das tradicionais cervejas de trigo da Escola Alemã. Conta com um intenso aroma de banana caramelizada, especiarias como cravo, canela e baunilha. Vai muito bem com carne de porco, cordeiro, risoto de funghi e torta Banoffee.

9 – Antídoto Elixir

(Blumenau, 7%)

Também nessa linha de cervejas interessantes para se tomar no inverno, esta Dubbel apresenta notas de frutas secas, como ameixa e uva-passa, chocolate e caramelo. No paladar, equilibra bem dulçor e amargor. É uma boa opção para harmonizar com carnes bem temperadas, cordeiro, porco, magret de pato e créme brûlée.

10- Lonh Bier Catharina Sour Uva Goethe

(Lauro Müller, 3,4%)

Termino a lista com outra Catharina Sour, e esta é uma ótima cerveja para dias quentes e festivos. Costumo até oferecer para quem não curte muito cerveja, pois ela substitui muito bem um vinho verde ou um frisante. É saborosa, as notas da uva Goethe estão bem destacadas. Combina com saladas, frutos do mar e massas com molhos leves.

Leia também:

Cinco lugares imperdíveis para curtir o fim de semana em Florianópolis