“Furacão Anitta”: 10 revelações polêmicas da biografia escrita por Leo Dias

Obra do jornalista amigo da cantora pop será lançada oficialmente no sábado (30), mas já teve versão completa vazada nas redes sociais

Anitta tem detalhes da vida pessoal e empresarial em destaque na obra de Leo Dias. Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

POR JÚLIO BOLL

“Falem mal, mas falem de mim.” Uma das frases proferidas por Anitta em um momento de críticas exageradas da mídia é uma das mais emblemáticas de Furacão Anitta, obra do jornalista Leo Dias, conhecido por trazer fofocas de famosos no Fofocalizando (SBT). A obra, que será oficialmente lançada somente no sábado (30), vazou nas redes sociais e já pode ser encontrada em diversos sites para download gratuito.

A forma como o jornalista conta a história da cantora pop, revelada pelo hit Show das Poderosas, passa a sensação de ser um papo muito bem combinado entre amigos. Divulgada como uma “biografia não autorizada”, a obra traz um excesso de elogios e um texto pouco trabalhado, o que coloca a credibilidade em xeque. A sensação é que Anitta aprovou linha a linha de cada uma das 200 e poucas páginas.

Diversas informações inéditas – algumas foram disponibilizadas nas últimas semanas nas redes sociais – aquecem a leitura de Furacão AnittaA reportagem revela os principais pontos do livro, que deve pintar na lista de mais vendidos nas próximas semanas.

(NÃO LEIA ABAIXO CASO não queira saber spoilers do livro)

Veja a lista das principais revelações

1 – Largar emprego na Vale para entrar no Furacão 2000

O início da carreira de Anitta é bem conhecido por seus fãs. A cantora assinou um contrato com o Furacão 2000, equipe de som e manager de cantores de funk e que segurou seu contrato até o lançamento do hit Show das Poderosas. Um detalhe assusta quem não tinha muito conhecimento sobre a vida de Larissa (nome verdadeiro da cantora) fora dos palcos: ela estudou técnico em administração e, sempre muito empenhada na sala de aula, conseguiu um estágio na Vale.

Na obra de Leo Dias, há uma revelação impactante. No mesmo período em que a jovem estava sendo sondada pelos managers musicais, ela recebeu a proposta de trabalho com carteira assinada e renda estável na multinacional. Por ser de uma família humilde e com poucos recursos até então, ela ficou dividida. O pai pediu que ela aceitasse a oferta de emprego, enquanto a mãe disse para ela seguir seu sonho musical. Anitta, então, disse não para a Vale e começou a carreira no funk.

Reprodução / Instagram
Anitta, em foto de divulgação do álbum “Kisses”, que será lançado no dia 5 de abril. Foto: Reprodução / Instagram
2 – A vilã: Kamilla Fialho

Não tem para ninguém: a grande vilã de Furacão Anitta é Kamilla Fialho, manager do Furacão 2000. Ao longo do livro, fica nítida a influência dela na gestão de contratos, na manipulação dos direitos das músicas (ela fez a cantora assinar contratos às pressas dizendo que os direitos de qualquer música escrita por ela seriam do Furacão 2000) e na agenda da artista, lucrando altas cifras sobre cada show de Anitta.

O episódio mais emblemático da obra é quando Leo Dias detalha a participação de Anitta no Baile da Favorita, em que foi obrigada por Fialho a subir no trio elétrico, mesmo sendo dias após sua primeira cirurgia plástica. “Ela foi, cheia de dor, com os pontos no seio entreabertos. Quando ela cantou, o ponto estourou, sangrou, e ela mal conseguia se mexer. E a Carol [Sampaio, organizadora do Baile], que já tinha uma treta com Kamilla, ficou zombando de Anitta no palco. (…)”, revela um trecho. Mesmo sendo sua agenciada, ficou claro o quanto a empresária zombou da cantora pelas costas.

3 – Descrença e briga por hits e videoclipes

Sempre muito preocupada com cada passo de sua carreira, o livro revela que Anitta não botava fé em Medicina, canção lançada em 2018. “O clipe é um exemplo claro de ordem a ser cumprida, uma exigência dos chefes. Apesar das belas imagens, a música é ruim. Anitta pegou ranço e nem se deu o trabalho de divulgar o vídeo”, escreve Leo Dias.

No entanto, Downtown foi no caminho oposto. Gravada com J Balvin, amigo íntimo de Anitta, a canção reggaeton só saiu do papel e foi lançada após muita insistência da cantora com a gravadora Warner Music. “Felizmente, deu certo”, pontua o jornalista.

4 – As tretas com Pabllo Vittar

Os fãs do pop brasileiro sabem da “desunião” de Anitta e Pabllo. A tensão entre as duas começou na gravação do clipe de Sua Cara. Na produção, Anitta teria pago 70 mil dólares para arcar gastos de produção no Marrocos – sem reembolso por parte da drag – e que a cantora teria pedido mais takes de Pabllo na edição final do vídeo.

Depois, a cantora de Buzina teria pensado em cobrar cachê para participar do evento Combatchy, criado por Anitta para vangloriar a música pop. Ao jogar para a drag que ela foi “usada” nas gravações de Sua Cara, Pabllo voltou atrás. A animosidade entre as duas piorou quando a drag cancelou, de última hora, uma participação no Música Boa Ao Vivo(Multishow), em que as duas dividiriam o palco – em uma clara expressão de rancor.

Além disso, Pabllo decidiu lançar uma festa própria junto com Preta Gil, uma das melhores amigas de Anitta, o que aumentou o climão entre as duas cantoras.

5 – O relacionamento abusivo com Thiago

Na obra, segundo o jornalista, família e amigos relataram que a cantora vivia um relacionamento abusivo com o empresário, “tóxico e baseado em assédio moral”. A forma como Thiago tratava Anitta, de acordo com o livro, incomodava quem vivia ao redor da artista. “Eles não entendiam como alguém como a cantora suportava as atitudes machistas e estúpidas do marido”, diz um trecho da biografia.

6 – Os romances

Os casos amorosos de Anitta ganharam um capítulo à parte na obra. Além de falar sobre o relacionamento “abusivo” com Thiago, o livro listou alguns dos affairs da artista. São eles:

– Luan Santana, que “não teve tanta química assim”;

– Pablo Morais, ator da Globo que ficou um mês com ela;

– André Marques, que traiu a cantora com uma bailarina do Domingão do Faustão;

– Os comediantes Eduardo Sterblitch e Fábio Porchat;

– Nial, do One Direction – que desencandeou no início do climão com Bruna Marquezine (leia mais abaixo);

– O piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton;

– Neymar – que desencadeou em um climão com Bruna Marquezine no Carnaval deste ano.

Mauro Pimentel / AFP
Neymar e Anitta foram vistos juntos no Carnaval. Foto: Mauro Pimentel / AFP

7 – O verdadeiro amor de Anitta

Na mesma parte em que faz uma verdadeira listagem de quem já esteve com a cantora, Leo Dias apresenta Daniel Trovejani, um rapaz que conheceu Anitta quando a então jovem de 16 anos perdeu o celular em uma boate. Ele era promoter de festas de 15 anos e se tornou empresário de festas de funk da capital fluminense.

Por questões de agenda, o relacionamento dos dois não decolou, em sete anos de idas e vindas. No final de 2018, Daniel virou o braço direito de Anitta na Rodamoinho Produções Artísticas, a produtora da cantora pop. Eis a prova de amor eterna.

8 – O começo da briga com Bruna Marquezine

Quando o One Direction veio ao Brasil, em 2014, Anitta e Bruna foram convidadas para uma festa privada da boyband no Hotel Fasano, no Rio. As duas foram, e, por lá, a cantora emendou uma noitada quente com Niall, enquanto Marquezine teria dado mais atenção para Harry Styles.

Anitta deixou o hotel somente na tarde do dia seguinte ao evento e, segundo a assessora de Marquezine, a artista teria vazado as informações da presença da atriz no local para a imprensa. Detalhe: Bruna estava em relacionamento sério com Neymar nesta época. A partir desta suspeita, de que Anitta foi a “dedo duro” do suposto affair, o climão foi criado entre as duas. A situação só piorou com o beijo que a cantora de Bang trocou com o jogador de futebol na Sapucaí neste ano – o que não é nenhuma novidade, já havia ocorrido outras vezes.

Harry Styles (à frente) é integrante do One Direction / Harry Styles (à frente) é integrante do One Direction
Evento com o One Direction teria desencandeado na briga entre Anitta e Marquezine. Harry Styles (à frente) é integrante do One Direction 

9 – Rock in Rio e Villa Mix

O acerto de que Anitta seria a primeira atração confirmada do Rock in Rio 2019 e na edição do festival de Lisboa é uma longa história. Este episódio é relatado por Dias, que revelou que Roberto Medina, frontman do festival, teria se recusado a chamar a cantora para o evento de 2017 por ela ser “representante do funk”, ainda visto de forma preconceituosa por investidores. Esta informação acabou vazando e, por estar estourando nas paradas, Anitta fez o produtor a confirmar na edição seguinte em um jogo de chantagens.

Além disso, o Villa Mix também é protagonista de outra confusão com a artista. Preocupada em sua incursão no interior do país, Anitta via sua participação no evento como fundamental para poder aumentar seu cachê e melhorar seu alcance. Entre idas e vindas, a cantora cancelou sua participação na edição de Goiânia quando já estava lá, já que tinha sido empurrada para o final do evento sem aviso prévio. No entanto, meses depois, foi a vez da edição Rio de Janeiro do Villa Mix, em que Anitta aproveitou para se apresentar (foi escalada por ser artista da rádio local parceira do festival) e lançou a direta no próprio palco: “Tem gente que acha que sacaneando, prejudicando, vai nos fazer desistir”, disse ela no evento.

10 – A data do fim de Anitta

Nas últimas páginas, Leo Dias revela trechos de uma conversa íntima com Anitta na metade de 2018. Ele crava que a cantora vai encerrar sua carreira em 2023, quando completar 30 anos. Por isso, Dias fala que a artista segue focada em ampliar seu leque de ações: além da música e de prestar consultoria a outros artistas, investe em palestras empresariais sobre seu próprio case de sucesso.

Divulgação / Instagram
Anitta, em imagem do disco “Kisses”. Foto: Divulgação / Instagram

Leia também: 

Biografia de Anitta relata relacionamento abusivo com Thiago Magalhães

Anitta divulga detalhes de cinco faixas do álbum que será lançado em abril

“Furacão Anitta”: biografia não autorizada detalha tretas com artistas nacionais e internacionais