A introdução alimentar do bebê deve ser feita no tempo certo, com respeito e paciência

bebê
Foto: Divulgação

Há algumas semanas circulou na internet um vídeo de uma apresentadora famosa iniciando a introdução alimentar da sua pequena aos 5 meses. Nesse vídeo, a apresentadora oferecia uma fruta para a sua bebê, recomendando a oferta da mesma fruta durante três dias seguidos, para depois do sexto mês começar com as comidinhas. O grande problema é que essas recomendações não são corretas, criando uma grande desinformação para as pessoas que a acompanham. No vídeo, claramente observamos que a bebê ainda não estava pronta para se alimentar pois não tinha a idade adequada, não demonstrando interesse pela comidinha, fechando a boca, tendo os papais insistindo na tentativa, deixando a pequeninha estressada com a situação, e possivelmente, trazendo riscos evitáveis à sua saúde.

Por esse motivo, na coluna de hoje, gostaríamos de falar um pouco mais sobre introdução alimentar e passar algumas dicas importantíssimas.

A fase da introdução alimentar é fundamental na formação do paladar do bebê, assim como na programação metabólica do ser humano (momento da vida que vai da gestação até os dois aninhos onde conseguimos modificar o ADN do bebê, prevenindo ou potencializando o risco de algumas doenças). A introdução alimentar realizada no tempo certo e de forma adequada é capaz de auxiliar não apenas na formação de hábitos alimentares saudáveis, mas também de prevenir o surgimento de doenças como alergias alimentares, obesidade, hipertensão, diabetes, dentre outras, ao longo da vida.

Estudos comprovam que quando introduzimos a alimentação complementar antes dos seis meses, aumentamos consideravelmente o risco de alergias alimentares e de obesidade na infância e na vida adulta, isso ocorre porque o sistema gastrointestinal ainda não está pronto para receber novos alimentos, causando mecanismos de defesa pelo corpo que desencadeiam as alergias alimentares.

A primeira premissa para iniciar a introdução alimentar, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é que o bebê tenha seis meses, independente de estar em aleitamento materno exclusivo ou em uso de fórmulas infantis (ou seis meses corrigidos em caso de bebês prematuros).

Além da idade do bebê, precisamos nos certificar que:

1. O bebê sente sozinho ou com pouco apoio (por exemplo com o apoio do cinto do cadeirão ou no colo dos pais). Nunca ofertar comida com o bebê sentado no carrinho ou cadeirinhas de descanso.

2. O bebê se interesse pelo alimento (se direciona para o alimento, abre a boca quando oferecemos a colherzinha, tem interesse em pegar os alimentos com as mãos).

3. O reflexo de protusão de língua está diminuído (ocorre quando o bebê para de colocar o alimento para fora com a linguinha).

Outras dicas importantes:

· Sente seu filho para comer na mesma hora que a família, eles aprendem por imitação.

· Tanto frutinhas como a comidinha devem ser ofertadas desde o início da introdução alimentar, não começamos só com frutinhas ou só com comidinha. Precisamos estimular o paladar para todos os sabores.

· Não liquidificamos nem trituramos os alimentos. Devemos ofertar amassadinho no garfo e/ou em cortes BLW seguros (sob orientação do nutricionista).

· Evite fazer brincadeiras como “olha o aviãozinho”, essas técnicas distraem e confundem as crianças que são surpreendidas com uma colher de comida na boca.

· Fale com o seu bebê, diga o que está oferecendo, espere ele abrir a boquinha e não o force a comer.

· Quando o seu bebê fechar a boquinha, é sinal que ele já está satisfeito ou que não está com fome, respeite os sinais que ele lhe der.

· Confie na capacidade do seu filho de se alimentar, evolua nas consistências conforme as recomendações do seu nutricionista ou pediatra.

· Lembre-se, os componentes principais para uma introdução alimentar de sucesso são: amor, paciência, dedicação e respeito ao seu bebê.

· E por último, e muito importante, procure profissionais atualizados e com atendimento humanizado, isso fará toda a diferença para transformar o momento da alimentação em uma experiência feliz, agradável e saudável.

Se você quer estar sempre atualizado sobre as recomendações em Nutrição materno-infantil, acompanhe a nossa página no Instagram.

Mais sobre alimentação:
Conheça os alimentos que ajudam a melhorar a celulite
Confira os benefícios de uma alimentação low carb
A interferência do uso de telas durante a alimentação das crianças