A solteirice emagrece. O casamento, já diz a sabedoria popular, engorda

A pessoa que sai de um relacionamento longo volta a frequentar festas, baladas, shows – volta a ser aquela que, na quinta-feira, já está mandando mensagens aos amigos, perguntando “qual é a boa” do final de semana. A pessoa que sai de um relacionamento longo passa a postar muito mais sobre a própria vida nas redes sociais – dizem até que algumas o fazem só para “mostrar a/ao ex” como estão bem e felizes, mesmo com o término. A pessoa que sai de um relacionamento longo até retoma o contato com amigos solteiros que acabaram sendo deixados de lado nos últimos meses ou anos, simplesmente porque as agendas, os passeios, os programas de ambos não eram compatíveis durante o período de namoro.

E a pessoa que sai de um relacionamento longo emagrece. É um fato incontestável da vida.

Sempre reparei em como amigas e amigos que terminam o namoro, passados meros um ou dois meses, já perderam lá seus dois, três, quem sabe cinco quilos. “Caramba, o que você fez pra emagrecer tanto???” “Terminei o namoro!” A resposta vem entre risos, mas não é brincadeira, não. É a mais pura verdade. A solteirice emagrece. O casamento, já diz a sabedoria popular, engorda. O namoro também.

Vá lá, é compreensível: os programas dos casados são muito mais caseiros. Não é por tédio ou acomodação, como pode parecer a um solteiro mais convicto (como eu fui por longos anos, confesso): chegado o fim da tarde de sexta-feira, quem namora quer mais é ficar em casa com o namorado/a – nada de gastar energia e calorias em baladas e rolês.

E os programas dos namorados envolvem muito mais, bem, comida: a pipoca do cinema ou da maratona vendo Netflix; o almoço caprichado feito a dois, em casa, no final de semana; o buffet livre de sushi no jantar romântico; até aquele brigadeiro de panela feito na tarde de um domingo preguiçoso. Não estou dizendo que um namorado ou namorada não pode ser um parceiro fitness daqueles: eu e meu namorado treinamos juntos na academia todos os dias; e conheço casais de amigos que se acompanham da salada às trilhas e maratonas. Mas, mesmo na rotina do casal fitness, o rodízio de pizza ou o delivery de hambúrguer dão as caras de vez em quando.

E eu não estou aqui nem entrando no mérito da galera que quer emagrecer (não que todo mundo deva querer – cada um na sua), mas que não faz grande esforço quando está namorando. Pra quê emagrecer se você não está “no mercado”? Seu par gosta de você “do jeito que você é”, então está tudo certo. Mas, uma vez terminado o relacionamento, opa – é hora de correr atrás do prejuízo.

O que me parece uma prática bem esquisita, na verdade. O conceito de beleza é subjetivo e extremamente variável, mas, se o seu próprio conceito de beleza envolve estar magro, malhado ou definido, você não deveria querer estar assim para a pessoa que você ama? Se cuidar para si mesmo e para a pessoa com quem você quer estar – e não só “para o mercado” – deveria ser prioridade de todo mundo o tempo todo. Mas isso já é outra história.

Não tem jeito. Quem namora abre mão de alguns passeios e programas que só fazem sentido para os solteiros – e de uns quilos a menos também.

Leia mais:

A tênue linha entre a preocupação e a ansiedade

Dias de saudade e de luto – por pessoas que nem existem

Não poupe nada na vida. Invista sempre!