Fofura: 30 ilustradores de todo mundo criaram desenhos para ajudar o projeto Adote um Ronrom, de Florianópolis

Ilustrações foram criadas por artistas de todo o mundo. Foto: Adote um Ronrom, Divulgação

É justamente no verão, quando mais se fala em praia, diversão e férias em Florianópolis, que os gatos que vivem nas ruas mais sofrem. Isso porque com tantas pessoas viajando, diminui a quantidade de doações e só aumentam as demandas de quem trabalha como voluntário da causa animal. É o caso do projeto Adote um Ronrom.

Ilustração de Diana Pedott

Criado em 2013, o projeto é voltado para o resgate de gatos em situação de risco e abandono. Os animais são acolhidos e recebem todo o tratamento necessário, antes de serem disponibilizados para a adoção responsável. Para continuar ativo, o Adote um Ronrom lançou a campanha colaborativa O Mundo Mágico do Ronrom.

Ilustração de Fernanda Pacheco

Ilustradores de várias partes do Brasil e do mundo criaram obras exclusivas inspiradas nos gatinhos que atualmente encontram-se para adoção como recompensa para quem ajudar — as recompensas variam de acordo com o valor da doação, a partir de R$ 10. Até quarta, dia 31, pela manhã, foi arrecadada pouco mais da metade do valor total. A campanha segue até o dia 19 de fevereiro.

Bordado de Manuela Fonseca

As imagens criadas pelos ilustradores estampam recompensas como calendários, pôsteres, cadernos e também bolsas, lançadas esta semana. Também é possível obter ilustrações e bordados personalizados com a imagem do gato do apoiador.

Entre os ilustradores participantes estão nomes como Anne Cristyne, Flávia Fernandes, Gabriela Nunes, Kate Friedl, Manu Cunhas, Tiago Kawata, Yris Tanaka e Yume Sato.

Foto: Adote um Ronrom, Divulgação

Dezenas de pedidos de socorro

Diariamente chegam ao projeto dezenas de pedidos de resgate e socorro para gatos abandonados ou sem condições de continuar sobrevivendo por conta própria nas ruas da Grande Florianópolis.  O projeto é mantido exclusivamente por meio de doações espontâneas. Além do resgate e tratamento de animais abandonados, atua na castração e na alimentação de colônias de gatos chamados ferais ou não socializados.

Leia também

Dos tradicionais desfiles de escola de samba às baladas eletrônicas: confira 21 festas de Carnaval com descontos do Clube

Sandro Clemes: só a arte salva