Ainda não se acostumou com o horário de verão? Dicas para se adaptar na hora de dormir

Corpo pode sentir dificuldades para dormir até o organismo estar sincronizado com a nova rotina

relógio
Foto: Duoflex/Divulgação

Com o início do horário de verão, adiantar os ponteiros em uma hora pode causar confusão no relógio biológico e desregular o sono. Nos primeiros dias é comum sentir dificuldade para acordar e falta de sono nos horários habituais. Essa mudança atrapalha a produção de substâncias durante a noite, como o cortisol e os hormônios de crescimento, e os efeitos podem variar de acordo com o organismo, mas geralmente são caracterizados por déficit de atenção, indisposição física, irritabilidade e sonolência.

Segundo a consultora do sono, Renata Federighi, o corpo é regulado pelo ciclo circadiano, uma espécie de relógio interno, que identifica a duração dos períodos luminosos e não luminosos (dia e noite) e é responsável por ajustar as funções fisiológicas no período de 24 horas, aproximadamente.

— Nosso relógio biológico está acostumado com horários regulares para dormir e acordar. Quando essa rotina é quebrada, o organismo leva um tempo para se adaptar. Por isso, é possível sentir oscilações de sonolência e energia em determinados períodos —, explica Renata.

Leia também: Horário de verão: veja como reduzir os efeitos da mudança do relógio

Ainda de acordo com a especialista, para que o indivíduo não sofra com os distúrbios citados, é aconselhável organizar a rotina aos poucos. Durante os primeiros dias do horário de verão a dica é dormir pelo menos 10 minutos mais cedo, para o corpo ir se acostumando gradualmente. Se expor à luz natural durante o dia e fazer atividades físicas também ajudam a regular o ciclo circadiano.

Para se acostumar aos relógios adiantados, a higiene do sono também pode ajudar, que consiste em organizar ou mudar alguns hábitos para melhorar a qualidade do sono. Adotar uma boa alimentação, ingerir bastante líquido, não ver televisão antes de dormir ou deixá-la ligada durante a noite e escolher um travesseiro adequado ao biótipo e a postura ao dormir, também são importantes para um sono relaxante.

— O travesseiro deve preencher o espaço entre a cabeça e o colchão, em um ângulo de 90º no pescoço, mantendo a coluna cervical e lombar sempre alinhadas. O recomendado é dormir de lado com as pernas semiflexionadas com um travesseiro baixinho entre elas para evitar a rotação da coluna e os atritos entre os joelhos e os tornozelos —, orienta a consultora.

Segundo a especialista, dormir em um ambiente escuro e silencioso também traz benefícios e contribui para que o corpo se adapte mais rápido ao novo horário.