Saiba como a alimentação pode ajudar no combate ao câncer de mama

Refeições mais saudáveis e a prática de atividade física regularmente são fundamentais para ajudar a deter o câncer de mama

Alimentação saudável - Foto Leo Munhoz, Diário Catarinense

Mais que uma questão genética, o surgimento do câncer pode estar muitas vezes relacionado a fatores de risco e o cuidado com a alimentação, por exemplo, tem um papel fundamental na proteção do nosso corpo. No Brasil quase 17 mil mulheres morrem todos os anos vítimas do câncer de mama, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). E a estimativa é que o ano de 2019 feche com 59.700 novos casos, o que representa uma taxa de incidência de 56,33 casos por 100.000 mulheres.

Para a nutricionista Tatiane Nascimento, responsável pela orientação e desenvolvimento de novos produtos da linha saudável da Rede Hippo, uma alimentação baseada em alimentos in natura ou minimamente processados, orgânicos, rica em frutas, verduras e legumes variados, cereais integrais, sementes, oleaginosas (castanhas, nozes, pistache), azeite e peixes ricos em ômega 3, como atum e salmão e sem aditivos artificiais, mostram benefícios na prevenção da doença. De acordo com a especialista, a inclusão destes alimentos nas refeições, de forma variada e equilibrada garante o melhor funcionamento do organismo. 

Sabe-se que o câncer é uma doença que não tem uma causa específica. Há causas externas (presentes no meio ambiente) e internas (como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas). O estilo de vida também tem um impacto no desenvolvimento e na prevenção da doença.

Segundo dados do INCA entre 80% e 90% dos casos de câncer estão associados a causas externas e alguns gatilhos como o estresse, traumas, radiação, poluentes, hábitos e estilo de vida podem elevar o risco de diferentes tipos de câncer. O controle do peso, a prática do exercício físico, assim como o controle da tensão (meditação, tai chi chuan, contato com a natureza, yoga, técnicas de respiração) auxiliam no equilíbrio metabólico e reduzem o risco de desenvolvimento da patologia. No entanto, a nutricionista também ressalta que nenhum tipo de alimento de forma isolada tem a capacidade de tratar ou prevenir a doença. Será o conjunto de ações e hábitos de vida que irão provocar benefícios na saúde global do indivíduo.

Confira alguns alimentos do bem

  • Frutas vermelhas (amora, morango, açaí, framboesa, groselha, mirtilo, uva) contêm antocianinas, um grupo de compostos que produz o pigmento que pode variar do vermelho ao roxo nas frutas e vegetais. As antocianinas apresentam grande importância na dieta podendo ser considerada como uma importante aliada na prevenção/retardamento de doenças cardiovasculares, do câncer e doenças neurodegenerativas, devido ao seu poder antioxidante, atuando contra os radicais livres;

  • Tomate, laranja, cenoura, damasco, manga, abóbora e mamão possuem carotenóides que são convertidos em vitamina A pelo fígado. Os carotenóides são um grupo de substâncias com muitos compostos que têm ação antioxidante e que pode atuar na inibição e proliferação de células, sendo então, importantes no combate ao câncer;

  • Os vegetais crucíferos que contém enxofre na sua estrutura como brócolis, repolho, couve-flor, couve-mineira, couve de Bruxelas, apresentam compostos que auxiliam o fígado nos processos de destoxificação do organismo;

  • Os fitoquímicos são substâncias produzidas naturalmente pelas plantas (frutas, verduras, legumes, cogumelos, grãos integrais, nozes, sementes, ervas e especiarias), que auxiliam no combate à doenças e protegem do câncer;

  • O consumo de alimentos orgânicos é essencial para a manutenção da saúde.

Leia mais:

Melanoma ocular que vitimou Roberto Leal está entre os tipos mais devastadores de câncer

Fumantes passivos inalam até 50 vezes mais substâncias cancerígenas

Semana da Saúde e do Combate ao Câncer frisa importância da alimentação