Artista catarinense faz residência artística e expõe obras inéditas em Salvador

Nestor Jr - Foto Fernando Bertolini, Divulgação

Nestor Jr – Foto Fernando Bertolini, Divulgação

O artista catarinense Nestor Jr fará de Salvador, Bahia, sua casa pelos próximos dias. Intitulada Ocupação Sambaqui, a experiência reúne residência artística, oficinas e exposição. É a quarta vez que Nestor expõe na capital baiana. A mais recente ocorreu há dois anos, quando apresentou a coleção À Espera, na RV Cultura e Arte, uma das mais importantes galerias de arte contemporânea do país. Entre esta quinta-feira até o dia 12 de dezembro, o artista produzirá dentro do espaço.

— Trabalho com a galeria desde 2011. Em 2015, eles se mudaram e fui até lá conhecer. Desde então conversamos em ocupar o ateliê. É a primeira fez que a galeria faz essa experiência de receber um artista para produzir. Outro ponto é que a ideia é falar sobre essa questão do trânsito, do nômade, que está presente nos trabalhos desta coleção — explica.

Vem dessa necessidade de transitar o nome da ocupação. Sambaqui são montes que compõem a paisagem do litoral catarinense. Formados por acúmulos de restos de materiais orgânicos e calcários (madeiras, ossos e conchas), esses espaços-monumentos foram construídos por povos nômades, e funcionavam como observatórios para pesca e proteção, como espaços ritualísticos, urnas funerárias e também como casas/malocas.

Aquarelas- Nestor Jr, Divulgação

Tendo conchas, personagens e outros materiais orgânicos como inspiração, Nestor Jr apresentará uma coleção de aquarelas e objetos na exposição Há um Grande Cansaço de Explicar o Mar, que abre ao público em 13 de dezembro. Os trabalhos remetem também à ideia da busca por um espaço, representada pelos Sambaquis construídos no passado.

Nas obras apresentadas, pedras, corais, conchas, sementes, folhas, madeiras e personagens aparecem nas aquarelas e objetos da mostra inédita. Elementos que o artista utiliza de forma metafórica em composições. A busca por novos territórios, físicos e imagéticos, do entendimento dos espaços e de si mesmo, e a procura por sua casa-concha e de um território possível para o seu corpo, compõem esse processo de criação e se fundem à próprias vivências de Nestor, que entre 2013 e 2017 viajou pelo país ministrando oficinas, produzindo intervenções e expondo seus trabalhos.

— Minha mobilidade como artista em busca de público e de espaços de recepção e difusão da minha obra tem se tornado uma constante na minha vida. E talvez seja uma busca e entendimento de mim mesmo enquanto artista e ser humano. A necessidade incessante dessas viagens, dessas buscas, das coletas. Dos acúmulos não só materiais mas também de experiências e trocas — afirma o artista.

Objeto – Nestor Jr, Divulgação

Além disso, Nestor Jr traça uma conexão com o corpo — tema bastante latente em seus trabalhos anteriores. Vistos pelo artista como símbolos de proteção e segurança, as conchas — base para a construção dos sambaquis — também a trazem a reflexão a respeito da libertação dos corpos, de uma busca pela autonomia sobre nossas próprias casas-cascas.

É a forma de o artista questionar a censura da nudez e da arte e o momento trágico que o Brasil vive em torno desta questão. Desta ligação, surge a referência a Oswald de Andrade, cujo poema dá nome à exposição. No texto, o poeta trata da exclusão das prostitutas pobres que frequentavam as ruas do Mangue, às margens do Centro do Rio de Janeiro, no século XIX. As mulheres que representavam a “sujeira” da cidade eram presas e obrigadas a viver em reclusão em bordéis e cabarés. A hipocrisia contrastava com a prostituição de luxo, na época, instalada na região da Lapa. Paralelo que pode ser feito com os artistas contemporâneos, que têm sofrido protestos de intolerância e incompreensão em diversas regiões do país.

Objeto – Nestor Jr , Divulgação

Serviço

Ocupação Sambaqui, de Nestor Jr 

Residência artística

De 23 de novembro a 12 de dezembro

O artista se instala no Espaço-ateliê da RV Cultura e Arte, na capital baiana, ocupando essa “casa-concha” produzindo e finalizando alguns dos trabalhos que farão parte da exposição aberta ao público a partir do dia 13 de dezembro.

Oficina de Aquarela
25 de novembro

Informações e inscrições pelo email: nestordesenho@gmail.com

Ateliê aberto e exibição do documentário “Museologando com Nestor Jr”. Realizado por: Alex Padilha, Fernanda do Canto, Raisa Ramoni e Rogério Satil ( exibição gratuita )

06 de dezembro as 19h

Exposição
“Há um grande cansaço de explicar o Mar” – mostra inédita de aquarelas e objetos que o artista apresenta na Galeria da RV Cultura e Arte
Abertura: 13 de dezembro às 19h.
Visitação: de segunda a sábado – até 20 de fevereiro de 2018
Entrada gratuita

Aquarela – Nestor Jr, Divulgação

Leia mais:
Desenho e aquarela: Nestor Jr se destaca no circuito de SC e tem trabalhos expostos em Paris
Artista Nestor Jr mostra trabalhos eróticos na exposição Interdito – O Corpo
Fotógrafo de SC mostra Europa com um novo olhar após percorrer países de bicicleta