Ashton Kutcher depõe contra o “estripador de Hollywood” que matou sua amiga em 2001

Ator teria um encontro com Ashley Ellerin no dia em que ela foi morta a facadas em casa

Ashton Kutcher
Dezoito anos após a tragédia, Ashton Kutcher deu depoimento sobre caso do "estripador de Hollywood". Foto: Frederick M. Brown/AFP

O ator Ashton Kutcher, 41 anos, foi chamado para depor nesta quarta-feira (29) sobre a morte de Ashley Ellerin, com quem namorava em 2001, quando a jovem foi morta a facadas em casa. O principal suspeito é Michael Gargiulo, conhecido como “O estripador de Hollywood”, e que é julgado por diversos crimes.

A amiga do ator, que tinha 22 na época de sua morte, foi uma entre muitas mulheres atacadas por Gargiulo. Ela foi vítima de 47 facadas no banheiro de sua casa.

O ator falou durante 40 minutos e ouviu centenas de testemunhas contra o criminoso, segundo informou a revista americana Elle.

No depoimento, Kutcher contou ao júri que eles tinham planos para um jantar na noite de 21 de fevereiro daquele ano. Eles haviam se encontrado em dezembro e, percebendo que os dois estavam solteiros, resolveram marcar um encontro e passaram a namorar.

Na época, Kutcher, que estrelava a série That 70’s Show, bateu na porta da casa de Ashley por volta das 22h e não obteve resposta. Ele tentou abrir a porta da frente, mas estava trancada. Então, ele decidiu dar uma olhada pela janela.

— O que eu vi parecia uma poça de vinho derrubada no carpete — contou o ator.

Ele disse que não se assustou porque havia ocorrido uma festa na casa um dia antes.

Acredita-se que quando Kutcher chegou na casa de Ellerin, ela já havia sido morta.

— Acreditamos que ela estava no banho se preparando para sair com o Sr. Kutcher quando foi atacada por trás — afirmou o delegado Dan Akemon durante o julgamento.

O ator só descobriu que ela havia sido morta no dia seguinte e que ficou desesperado para contar à polícia o que acontecera de fato, já que suas impressões digitais estavam na porta da casa de Ellerin.

Gargiulo se declarou inocente de todas as acusações, incluindo a morte fatal de Maria Bruno e da tentativa de assassinato de Michelle Murphy, ambas em 2008. Além desses ataques em Los Angeles, a acusação acredita que Gargiulo está por trás da morte de Tricia Pacaccio, que foi encontrada morta à facadas em 1993.

Leia mais:

Demi Moore está namorando uma mulher há dois anos, diz site

Ashton Kutcher avalia atuação de Neymar no jogo contra o México

Marina Ruy Barbosa assina terceira coleção de moda de marca catarinense