Veja dicas de como proteger a pele dos efeitos nocivos do sol

protetor solar
Fotos: Diorgenes Pandini

Com o verão se aproximando, é muito importante não deixar de se proteger contra os efeitos da radiação solar na pele. A farmacêutica Melissa Mancini deu dicas sobre como se proteger dos efeitos nocivos do sol.

A exposição aos raios em doses adequadas tem efeitos benéficos à saúde, como estímulo da produção de vitamina D3, metabolismo ósseo e funcionamento do sistema imunológico.

Leia também: Saiba quais a principais causas da flacidez e os tratamentos

As orientações sobre como se proteger dos malefícios devem ser coerentes com a incidência solar da região, os hábitos da população e o fototipo da pele. Além disso, devem ser feitas por dermatologistas baseadas nas recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica Melissa. É indicado também combinar o maior número possível de medidas, além de não se expor entre 10h e 16h. Dentre essas medidas, pode-se citar o uso de chapéus, óculos, roupas, fotoprotetores orais e tópicos. Portanto, ainda não existe uma medida que isoladamente garanta uma proteção completa. E nada substitui o uso de filtro solar.

Filtros solares são substâncias ativas que atuam por mecanismos de reflexão, dispersão ou absorção da radiação que incide na pele. Eles têm a finalidade de filtrar certos raios
ultravioletas.

No Brasil, enquadram-se na categoria de cosméticos, pois são produtos com indicações específicas e cujas características exigem comprovação de segurança e eficácia, bem como informações e cuidados quanto ao modo e restrições de uso.

A eficácia dos filtros é dependente da sua capacidade de absorção da energia radiante. A associação de diferentes filtros (físicos e químicos) em formulações é um recurso para melhorar a eficácia e potencializar o Fator de Proteção Solar (FPS), completa Melissa.
São classificados em duas categorias principais: inorgânicos (ou físicos) e orgânicos (ou químicos). A maioria dos protetores solares combina filtros físicos e químicos, a fim de atingir o nível de eficácia esperado e a cobertura mais uniforme nas faixas UVA e UVB (os efeitos bioquímicos da radiação solar sobre a pele são causados principalmente por essas radiações).

O UVA é o mais penetrante (atinge a derme mais profunda). Gera radicais livres, altera colágeno e elastina, e por isso, é o principal responsável pelo envelhecimento precoce. Tem ação fotossensibilizante e é o responsável pelo bronzeamento direto.

Leia também: Microagulhamento: saiba tudo sobre o tratamento queridinho das famosas

A radiação UVB, apesar da penetração na pele ser menor, pode chegar até a derme papilar. Tem ação eritematosa (causa vermelhidão/queimadura solar), é responsável pelo bronzeamento indireto e tem potencial carcinogênico (por danificar o DNA).

FPS tem maior relação com radiação UVB. PPD (abreviação do inglês de Persistent Pigment Darkening) mede a proteção UVA. Portanto, um protetor solar deve apresentar preferencialmente, além do seu FPS, o seu PPD.

A apresentação da formulação também tem relação direta com a capacidade de proteção. Géis ou sprays são menos eficazes e têm menor resistência à água e suor do que emulsões ou loções, que melhor se distribuem, e portanto apresentam maior eficácia.

Lidiane Amaral
Esteticista e empresária. Ao longo dos 15 anos que atua na área da estética e beleza, desenvolveu diversos tratamentos com o objetivo de trazer resultados satisfatórios e que ajudem a melhorar a autoestima da mulher. Com dedicação e trabalho se tornou uma profissional diferenciada e de referência na Grande Florianópolis. Atualmente conta com uma equipe altamente qualificada, que segue os métodos desenvolvidos, e que tem o propósito de proporcionar uma experiência de beleza única, com foco no resultando, respeitando sempre a individualidade de cada cliente.