Atração forte confirmada no Lollapalooza: Conheça a banda britânica Bring Me The Horizon

Fica aqui a minha sugestão: conferir a apresentação da banda no Royal Albert Hall, em Londres, que aconteceu no início de 2016

Bring Me The Horizon
Bring Me The Horizon (Foto: Divulgação)

Como eu não conheci essa banda antes? Foi o que me perguntei depois que passei a ouvir sem parar as músicas de Bring Me The Horizon. Quem não curte rock alternativo talvez acabe torcendo o nariz de primeira. Mas se você não dispensa esse estilo na playlist, vale experimentar algumas músicas dos britânicos.

Fica aqui a minha sugestão: conferir a apresentação da banda no Royal Albert Hall, em Londres, que aconteceu no início de 2016. O registro foi realizado para o DVD da banda, intitulado Live at the Royal Albert Hall, que contou com a participação de uma orquestra completa maravilhosa e casa lotada. Além disso, vale ressaltar que toda bilheteria foi doada à ONG Teenage Cancer Trust.

Foi esse show, assistido bem despretensiosamente no Youtube, que me fez buscar mais sobre a banda. Drown me deixou arrepiada, no sentido literal da palavra. A música é muito energética, e compartilho da mesma sensação para a versão original, lançada em 2014.

Para a minha felicidade, e talvez muita sorte, BMTH se apresenta nesse ano no festival Lollapalooza, dia 6 de abril, em São Paulo. E enquanto o show não chega, eu vou martelando as minhas favoritas no modo repeat: True Friends, Doomed, Happy Song, Sleepwalking e, é claro, Drown.

Além da passagem pelo Brasil, outra novidade da banda é o lançamento do seu novo álbum, chamado Amo. A ideia foi do frontman e vocalista da banda, Oliver Sykes, que decidiu fazer uma homenagem a sua esposa, a modelo brazuca Alissa Salls. O sexto álbum de estúdio dos caras, lançado recentemente nas plataformas digitais, já conta com algumas prediletas que certamente serão tocadas no Lolla 2019: Mantra e Medicine. Esta segunda, comparada aos primeiros trabalhos da banda, é levíssima (risos). Até me arrisco em dizer que conta com uma pegada mais pop, tanto que rádios desse segmento poderiam tocá-la tranquilamente, sem assustar o tiozinho que tá no trânsito.

Independentemente dos rótulos para esse novo momento da banda, devo confessar que eu curti pacas, sem falar que o refrão cola rápido na cabeça: You need a taste of your own medicine…

Leia mais notícias sobre música