Atriz de “Orange Is The New Black” afirma que Geoffrey Rush a assediou sexualmente

Yael Stone contou ao jornal New York Times que o premiado ator teve comportamento inadequado quando trabalharam juntos

Yael Stone afirma que Geoffrey Rush a constrangeu quando eles trabalharam juntos em uma peça teatral. Foto: Reprodução / Montagem

Uma das protagonistas da aclamada série Orange Is The New Black, a australiana Yael Stone, 33 anos, afirmou ao The New York Times que o ator Geoffrey Rush, 67, a assediou sexualmente. Os detalhes foram revelados em artigo escrito pela editora de Opinião do jornal, publicado neste domingo (16).

Yael garantiu que, quando tinha 25 anos e trabalhou junto com Rush na peça teatral O Diário de Um Louco (The Diary of a Madman), em cartaz nos Estados Unidos entre 2010 e 2011, o ator, então com 59 anos, teve um comportamento que ela considerou inadequado. Ele dançava nu na frente dela no camarim, chegou a colocar um espelho para vê-la tomando banho e enviou-lhe mensagens de texto com conteúdo erótico.

Os episódios foram relatados à editora Bari Weiss. Segundo ela, Yael considerava Geoffrey Rush um herói antes de ser assediada por ele. Agora, a atriz está com medo.

Um dos nomes mais respeitados de Hollywood, Geoffrey Rush fez filmes como O Discurso do Rei (2010), A Menina Que Roubava Livros (2013) e Contos Proibidos do Marquês de Sade(2001). Ganhou o Oscar de melhor ator pelo papel em Shine – Brilhante (1997). Ao New York Times, Rush garantiu que as acusações de Yael são “incorretas” e “tiradas de contexto”. “Lamento sinceramente e profundamente se provoquei alguma aflição. Isto, certamente, não foi minha intenção”, acrescentou Rush.

O comportamento de Rush já havia sido acusado em 2017, quando uma atriz relatou episódios de assédio por parte do ator ao jornal The Daily Telegraph. Rush acabou processando a publicação, e as matérias sobre o episódio tiveram de ser removidas do site.

Leia abaixo o posicionamento do ator:

“Desde o início, devo deixar claro que as alegações de comportamento inadequado feito por Yael Stone são incorretas e em alguns casos foram tomadas completamente fora de contexto. No entanto, claramente Yael sentiu-se chateada pelo entusiasmo que eu geralmente trago para o meu trabalho. Sinceramente e profundamente lamento se eu lhe causei aflição. Isso, certamente, nunca foi minha intenção. Quando nos apresentamos em O Diário de Um Louco, oito anos atrás, acredito que estávamos engajados como camaradas em uma jornada artística. Ao longo dos anos, temos compartilhado de respeito mútuo e admiração. Como eu disse, abomino qualquer comportamento que pode ser considerado como assédio ou intimidação para qualquer pessoa — seja no local de trabalho ou em qualquer outro ambiente.”

 

Leia também:
Lady Gaga fala sobre assédio na indústria da música: “Era regra, não exceção”