Barack e Michelle Obama produzirão conteúdo para Netflix

Barack e Michelle Obama
Barack e Michelle Obama

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama e sua esposa, Michelle, informaram nesta segunda-feira (21) que assinaram um contrato para produzir conteúdo para a Netflix. O casal criou a empresa Higher Ground Production para produzir uma variedade de conteúdo para o serviço de streaming, incluindo documentários, filmes e séries.

“Uma das grandes satisfações de trabalhar na administração pública é ter conhecido tanta gente fascinante, de todos os caminhos da vida, e ajudá-los a compartilhar essa experiência com uma maior audiência”, disse o ex-presidente por meio de um comunicado.

“É por isso que Michelle e eu estamos tão emocionados em nos associarmos com a Netflix. Esperamos cultivar e selecionar vozes talentosas, inspiradoras e criativas, que sejam capazes de promover uma maior empatia e compreensão entre os povos e ajudá-los a compartilhar suas histórias com todo o mundo”, completou.

O chefe de conteúdos da Netflix, Ted Sarandos, assinalou que “Barack e Michelle Obama estão entre as personalidades públicas mais respeitadas e reconhecidas do mundo e têm uma posição única para descobrir e destacar histórias de pessoas que fazem a diferença em suas comunidades e se esforçam em mudar o mundo para o bem”.

No comunicado, não dá dados sobre as condições financeiras, mas a passagem do casal pela Casa Branca rendeu bons frutos, pois no ano passado os dois negociaram acordos para livros reportados em mais de 60 milhões de dólares.

As tão esperadas memórias de Michelle Obama devem sair em novembro, informou em fevereiro a editora Penguin Random, que descreveu a ex-primeira-dama como “uma das mulheres mais emblemáticas e convincentes de nossa era”. Michelle usou sua influência para defender os direitos das mulheres e das crianças e fez campanhas para promover hábitos saudáveis nos americanos.

Os Obama não planejam usar a Netflix para fazer oposição ao presidente Donald Trump e a outros conservadores. A ex-primeira-dama indicou que focarão em “contar histórias que nos inspirem, que nos façam pensar diferente sobre o mundo e nos ajudem a abrir nossas mentes e nossos corações”.

 

Leia também:
Animação produzida em Blumenau conquista prêmio latino-americano

“Nada a Perder” entra na lista dos 100 piores filmes da história