Barão Vermelho volta a Florianópolis no festival Rock Weekend

Único remanescente original, o baterista Guto Goffi falou com a reportagem sobre o show na Capital e as gravações do novo disco

Foto: Leo Aversa, divulgação

Uma das atrações do Rock Weekend, festival que vai desta sexta-feira até domingo no Costão do Santinho, o Barão Vermelho volta a Florianópolis envolvido em duas frentes. Uma, fazer “um grande show”, ressalta o baterista Guto Goffi. Outra, concluir as gravações do disco prometido para o segundo semestre, o primeiro de inéditas desde 2004. De acordo com o músico, os fãs podem esperar 12 novas canções com a sonoridade que
consagrou a banda nestes quase 40 anos de carreira.

– Quem conhece o grupo sabe que nós já passeamos por praticamente todas as vertentes do rock, esse é o nosso universo. Somos quatro músicos experientes no estúdio. Já estamos com três músicas registradas – explica Goffi, por telefone, diretamente da escola de música que mantém no Rio de Janeiro, a Maracatu Brasil.

Único remanescente original (o tecladista Maurício Barros também é sócio-fundador, mas alternou idas e vindas), Goffi destaca a importância do futuro álbum para consolidar a nova formação junto ao público. Tanto que, antecipa ele, todas as músicas serão feitas pelo quarteto (o guitarrista Fernando Magalhães e o vocalista Rodrigo Suricato completam o time), sem ex nem participações especiais. Para quem já teve que se virar depois da saída de um artista emblemático, continuar na ativa sem Roberto Frejat foi uma decisão natural.

– O Cazuza foi para o Barão como o Zico era para o Flamengo, o camisa 10. E nós seguimos sem ele. Então, desde 1985 que eu tenho muito claro para mim que ninguém é insubstituível.

Com a chegada de Suricato, no início de 2017, as comparações com os titulares anteriores seriam inevitáveis. Na avaliação de Goffi, Cazuza mostrou ser “um baita cantor e um poeta excepcional”. Frejat “começou um pouco tímido, mas entrou com muita raça e vontade de ocupar aquele lugar”. É para o caçula da banda, no entanto, que ele reserva as palavras mais carinhosas:

– O Suricato é um fã do Barão, toca guitarra e violão muito bem e, como cantor da noite, tem a experiência de cantar de tudo.

É com os atributos do novo colega que o Barão Vermelho conta para reencontrar um cenário muito diferente de quando se aventurou pela última vez com uma proposta autoral – com o autointitulado disco de 2004. Se naquela época o rock já não estava com essa bola toda, hoje joga na “segunda divisão”, define o baterista com mais uma metáfora futebolística. Uma amostra do que Suricato é capaz pode ser conferida em Barão pra Sempre, compilação lançada nas plataformas digitais em abril com nove sucessos regravados com ele nos microfones.

Foto: Leo Aversa, divulgação

Críticas ao panorama atual

Para virar o jogo, porém, será necessário muito mais do que entoar novamente Pro Dia Nascer Feliz, Eu Queria Ter uma Bomba ou Pense e Dance, alguns dos clássicos revividos na coletânea. Egresso de uma “geração que acreditou que estava fazendo alguma coisa para mudar o mundo para melhor e não adiantou nada”, Goffi não poupa críticas ao panorama atual do pop nacional.

– A música é um reflexo da sociedade. De A a Z, não existe nada no Brasil que não tenha piorado nos últimos 20, 30 anos. Virou um país de merda, então a música é de merda.

Por trás da acidez do comentário, está a certeza de que o mercado e o público mudaram. Assim como a expectativa de compor algo que reafirme a força do Barão Vermelho e honre
a história da banda.

– Meu sentimento interno de músico é o mesmo, sonho igual eu sonhava em 1981. O mais importante é nossa vontade de fazer um trabalho relevante e ter saúde para sair na estrada e dar tudo em cima do palco – conclui Goffi.

 

ESGOTADO! Rock Weekend – Costão do Santinho

Upgrade gratuito equivalente a um desconto de 20%. O apto superior fica com preço de apto standard. Compra direto pelo 0800 645 0929 informando que é sócio do ClubeNSC ou pelo site com código DCROCK.

 

O PACOTE PARA O ROCK WEEKEND ESGOTOU, MAS TEMOS OUTRO PACOTE ABERTO: MOUNTAIN DO.