Bernardo Bertolucci, diretor de “Último Tango em Paris”, morre aos 77 anos

Consagrado por filmes como "O Último Imperador" (1987) e "Os Sonhadores" (2003), cineasta italiano morreu em casa, em Roma, mas a causa de seu óbito não foi divulgada

Em 2011, Bertolucci recebeu a Palma de Ouro honorária, em Cannes, pelo conjunto de sua obra. Foto: TIZIANA FABI / AFP

O cineasta italiano Bernardo Bertolucci morreu em Roma, nesta segunda-feira (26). segundo divulgou o jornal local La Repubblica. O diretor de 77 anos estava em casa no momento do óbito, mas a causa da morte não foi revelada. Segundo o jornal Corriere Della Sera, Bertolucci sofria de uma “longa doença”.

Em 1972, o cineasta conquistou fama mundial com Último Tango em Paris, um drama erótico protagonizado por Marlon Brando e Maria Schneider que provocou grande escândalo por uma de suas cenas.

Em 1987, O Último Imperador, filme sobre o último imperador da China, recebeu nove estatuetas na cerimônia do Oscar, entre as quais estão a de melhor diretor, melhor filme e melhor roteiro.

Nos últimos anos, Bertolucci utilizava uma cadeira de rodas. Em 2007, ele recebeu um Leão de Ouro honorário pelo conjunto da obra do Festival de Veneza, enquanto em 2011, foi homenageado com uma Palma de Ouro honorária no Festival de Cannes pela sua produção.

Nascido em Parma, nordeste da Itália, em 1941, Bertolucci dirigiu filmes de grande teor político, incluindo 1900 (1976), que narra a história da Itália no início do século XX, e O Conformista (1970), sobre a esquerda no período do fascismo italiano.