Beto Barreiros: Em época de Fenaostra, saiba qual é a melhor maneira de degustar a iguaria

Ostras-do-Box 32 - Divulgação

Ostra viva é a forma ideal para consumo – Foto Beto Barreiros, Divulgação

Já é tradição, outubro é o mês mais festivo do ano em Santa Catarina. Em Florianópolis até domingo, acontece a Fenaostra, na qual é oferecida ao público ostras para todos os gostos. No mundo inteiro ela é servida viva, aqui as ostras gratinadas e no vapor dominam a festa.

Mesmo insistindo que elas devem ser apreciadas vivas porque representam a pureza dos oceanos, concordo que as variações servidas ajudam a quebrar resistências quanto ao seu consumo, atraindo as pessoas para provarem pela primeira vez e sentirem o seu delicado sabor. Para saber se estão vivas, pingue uma gota de limão. Elas se encolherão.

As ostras podem ser conservadas no refrigerador no local reservado aos legumes e verduras. Duram até uma semana. A melhor maneira de saber se estão vivas é observar se estão fechadas. Ostras abertas devem ser descartadas.

Como os franceses degustam a ostra

Na França, as ostras são degustadas assim:
. Uma dúzia de ostras vivas
. Pão fatiado
. Manteiga
. Limão (somente quando as ostras estão gordas)
. Vinho Branco ou Champanhe. Cervejas também podem ser harmonizadas com ostras

Deguste uma ostra e em seguida coma uma fatia de pão com manteiga para cortar o sabor residual, seguido de um gole de sua bebida predileta. Repita a degustação nesta ordem até o fim.

Ostras – Foto Andrew Hammes, divulgação

Santa Catarina principal produtora de ostras

Santa Catarina produz 95% dos moluscos brasileiros. Ostras, mexilhões, berbigões e vieiras, são cultivadas por em Florianópolis, Palhoça, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Bombinhas, São Francisco do Sul, Balneário Camboriú, Balneário Barra do Sul, Penha, Itapema, Porto Belo, e São José.

A maior produção está no Ribeirão da Ilha. Nos restaurantes são servidos 90% da produção, e são eles que devem insistir para os clientes comerem as vivas. São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte são os principais centros consumidores. Os paulistas e cariocas preferem as ostras baby (com 6 cm), outros estados as médias (7 a8 cm) e Santa Catarina as grandes (acima de 8 cm).

Confira a programação completa da Fenaostra