Bonecas negras e livros sobre diversidade: Gio Ewbank e Bruno Gagliasso contam como criam Titi

diversidade
diversidade

Gio Ewbank e Bruno Gagliasso revelaram em entrevista ao Bebê.com.br o quanto inserem na vida da filha Titi referências que tragam identificação na pequena. O casal afirmou que livros, histórias e bonecas negras são a forma que encontraram de inserir no dia a dia a representatividade negra na rotina da menina.

Giovanna contou um pouco sobre como fazem na prática para criarem Titi:

– A gente sempre está apresentando referências para ela: mostrando livros, contando histórias… A Titi tem várias bonecas negras e ela se reconhece nelas e nos livros em que os personagens principais são negros. Então a gente tem esse trabalho e se preocupa muito em trazer essa representatividade para dentro de casa. Tanto que fomos para a Bahia, fizemos questão de levá-la no Ylê e hoje vemos que ela se reconhece muito.
Ao fazer uma reportagem em Malawi, na África, para o programa Domingão do Faustão, Giovanna conheceu Chissomo – apelidada de Titi – e após um processo de adoção longo, em em maio de 2016, Titi conheceu a sua casa no Rio de Janeiro. A rotina corrida dos dois artistas pode parecer difícil para manter o contato com a filha, mas os dois fazem o máximo que podem para estarem juntos:

– Às vezes ele (Bruno) viaja o dia todo só para poder ficar 5 horas com a nossa filha antes de ir para Cuiabá filmar. Ele é um pai muito esforçado.

Quando uma semana parece uma eternidade…. To chegando meninas!!!! ❤️?? #saudades

Uma publicação compartilhada por Bruno Gagliasso (@brunogagliasso) em

Titi já sofreu preconceito racial nas redes sociais e quando perguntados sobre a exposição da pequena, eles afirmam que ela ainda não entende a proporção da fama dos pais. Mesmo com os comentários racistas, muitos fãs dos pais se tornaram também fãs da menina:

– É muito bom saber que as pessoas gostam da nossa filha. É lógico que ficamos felizes, mas também tentamos blindá-la de alguma maneira para que não interfira na vida pessoal dela.

Leia também:
“Representatividade importa, sim”, diz Lázaro Ramos, que estreia duas novas temporadas na TV