Grupo de brasileiros se desculpa por homens que assediaram mulher na Rússia

Pessoas enviaram cartas à embaixada do Brasil na Rússia se retratando pelo comportamento dos compatriotas e pedindo a deportação do grupo

brasileiros
Reprodução Twitter

Alguns brasileiros enviaram à Embaixada do Brasil na Rússia, na tarde desta segunda-feira, cartas se retratando pelo comportamento dos compatriotas que abusaram e ofenderam uma mulher, ao gravarem um vídeo cantando músicas sobre a cor de seu órgão sexual. A gravação foi feita na Rússia, onde acontece a Copa do Mundo da Fifa.

As imagens causaram revolta nas redes sociais e houve até quem pedisse a deportação do grupo para o Brasil. Segundo informações do Jornal O Globo, foram mais de dez cartas até a tarde desta segunda-feira (18).

De acordo com as leis locais, as autoridades russas não podem fazer nada diante do caso se a própria jovem não der queixa. Caso ela faça, eles poderão ser presos e até deportados para o Brasil pela polícia do país da Copa.

Entenda o caso envolvendo os brasileiros:

Um grupo de quatro brasileiros gravou um vídeo cantando músicas ofensivas sobre a cor do órgão sexual de uma mulher e gerou revolta nas redes sociais. Nas imagens, que começaram a repercutir na internet na tarde de sábado, 16, os homens cercam uma mulher loira, que aparentemente não é brasileira e nem fala português, e cantam repetidamente: “Essa é bem rosinha!”. Eles também se aproveitam do fato de a mulher não entender o idioma e incentivam que ela repita a frase. Em um momento do vídeo, é possível ver que eles também a seguram pelo braço.

Entre os brasileiros que participam do vídeo está o pernambucano Diego Valença Jatobá, ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE).

Leia mais:

Fernanda Gentil fala sobre machismo nos estádios: “Se perdem, te chamam de piranha”

Comédia da Netflix inverte os papéis para falar de machismo

J. Balvin afirma “Rihanna não é para casar” e é acusado de machismo