Buena Vista Social Club encerra programação do Jurerê Jazz Festival neste domingo no P12

Buena Vista Social Club
Buena Vista Social Club

A Orquestra Buena Vista Social Club, que reúne grandes nomes da música popular cubana, encerra neste domingo a programação do Jurerê Jazz Festival, em Florianópolis. A Adiós Tour, iniciada em 2014 e que virou documentário homônimo, faz parte das apresentações de despedida do grupo. Para os integrantes, que já teve diversas formações ao longo dos anos, este retorno aos palcos é uma forma de agradecer o carinho dos fãs.

No show, veteranos como Omara Portuondo, Eliades Ochoa e Barbarito Torres – o músico Guajiro Mirabal desfalca a orquestra por conta de um problema de saúde – se apresentam ao lado de músicos mais jovens. O Guia do Clube conversou por e-mail com Portuondo, que promete uma apresentação “cheia de emoção, amor, sorrisos, e música”. Confira:

Foto: Carlos Pericás/Divulgação

Em maio de 2015 vocês estiveram em Florianópolis para uma última apresentação. No entanto, com a resposta do público retornaram no mesmo ano a Capital com ingressos esgotados. Agora voltam para encerrar o Jurerê Jazz. Não há dúvidas de que o público os espera. Com um retorno tão positivo, porque esse seria o derradeiro ‘Adios’?
Nossa despedida é uma celebração à música. É o nosso adeus e o nosso muito obrigado pelo amor e atenção de sempre.

Sendo essa a última turnê do Buena Vista Social Club, o que o grupo fará após o último show?
Cada um de nós tem os próprios projetos. A música é minha vida. Espero continuar cantando por muitos anos ainda. É o motor que me mantém viva, além da minha família. Então, espero visitá-los um dia com o meu trabalho.

Li uma entrevista em que Barbarito compara a vida de músico a de um escravo…
Eu sinceramente não conheço essas declarações, mas a vida do músico é intensa em todos os sentidos. De forma boa e ruim. Com frequência só se vê a beleza dessa profissão. Sempre houve muito trabalho duro, horas de dedicação e muito esforço. Mas sou muito grata por tudo.

Identificam uma diferença na resposta do público brasileiro ao trabalho de vocês?
É um público muito carinhoso. Eu considero os brasileiros irmãos dos cubanos. Compartilhamos muitas coisas no que diz respeito à música e ao modo de entender a vida.

Existe semelhança entre a música brasileira e a cubana?
Sim, nós compartilhamos raízes. Somos países com herança africana.

Na turnê mundial vocês estão acompanhados por músicos mais jovens, que seguem o trabalho de vocês e são fãs da história da orquestra. De que forma a nova geração agrega ao trabalho do grupo?
Eles têm talento, energia e muita alegria. Temos jovens talentos como o pianista Rolando Luna e o baixista Gaston Joya, por exemplo. A nova geração ouve a nossa música com muito respeito.

 

Buena Vista Social Club Adiós
13/05, abertura dos portões às 14h
Quanto: a partir de R$160 (5º lote). Sócio do Clube NSC e acompanhante têm 20% de desconto na compra do ingresso antecipado na loja Ingresso Rápido (Rua Bocaiúva, 2.468, Beiramar Shopping, Centro, Florianópolis).
Onde: P12 (Serv. José Cardoso de Oliveira, s/nº, Jurerê Internacional, Florianópolis).

Leia também:
Neto de Tom Jobim, Daniel Jobim faz show no Jurerê Jazz em homenagem ao avô

Catarinense Luiz Gustavo Zago é uma das atrações do Jurerê Jazz Festival