Cada bebê tem seu tempo: tire suas dúvidas sobre introdução alimentar

Até o primeiro aninho, o leite materno é a principal fonte de nutrição do bebê

bebê
Foto: Divulgação

Sabemos o quanto papais e mamães ficam preocupados e esperam que os bebês comam toda a comida ofertada já desde o primeiro momento da introdução alimentar. Mas na maioria dos casos, isso não é o que acontece, deixando todo mundo aflito e se perguntando o que está sendo feito de “errado”. Por isso, queremos contar algumas coisas pra vocês, pra acalmar seus corações:

  • Até o primeiro aninho, o leite materno é a principal fonte de nutrição do bebê. E isso nos traz tranquilidade para entender o segundo ponto.
  • A introdução alimentar é um processo que não ocorre da noite para o dia e sim gradativamente. A comidinha, nos primeiros meses de introdução alimentar, é só um complemento do leite materno.
  • Alguns bebês demoram mais e outros menos para começar efetivamente a comer os alimentos, ou seja, colocá-los na boca, mastigá-los e degluti-los. Assim como para aprender a falar, primeiro ouvimos e entendemos os sons, depois balbuciamos e finalmente começamos a tentar dizer as primeiras palavras. Para o bebê se alimentar, ele primeiro reconhecerá o alimento olhando pra ele, tocando, sentindo o sabor na boca (mesmo que não engula e o coloque pra fora), observando os pais e irmãos se alimentando, para depois efetivamente começar a “comer” da forma em que os pais esperam. Lembrando que esse depois será diferente para cada bebê, pois cada um tem o seu tempo.
  • Além disso, existem diferenças na aceitação de acordo com a forma em que oferecemos os alimentos (combinações, formas de preparo, cortes e consistências). Por isso a variedade de alimentos e formas de apresentação também podem ser aliados no processo de introdução alimentar.
  • É fundamental estar atento aos sinais do bebê, como interesse pelos alimentos, fome e saciedade, para não forçar e não deixar de oferecer e estimular.
  • Ter o coração calmo e confiar na capacidade do seu pequeno em decidir quando e como se alimentar também são pontos essenciais.

É aqui que o papel do nutricionista exerce tamanha importância. Ele pode ajudar a entender os tempos certos, estratégias novas de preparo e oferta, ensinar sinais de prontidão, de fome e saciedade, dentre outros pontos tão importantes. Às vezes parecem detalhes, mas são eles que fazem a diferença!

Leia também:

Saiba quando iniciar a introdução alimentar do prematuro

Leia mais colunas de Carol Bandeira e Silvia Ozcariz