Cafeteria Especial, de Blumenau, perde jogo no Caldeirão do Huck, mas ganha apoio em vaquinha virtual

Foi um final triste, mas pontuado por um emocionante discurso de Giorgio: "A gente poderia ter saído com muito dinheiro, mas saiu com muito amor"

Representantes da Cafeteria Especial no Caldeirão (Foto: Instagram/Reprodução)

O quadro The Wall, do Caldeirão do Huck, foi emocionante na tarde deste sábado, 23. Participaram do programa Delfino Pellegrini e Giorgio Sinestri, representantes da Cafeteria Especial, de Blumenau. Eles sonhavam grande: o plano era conquistar entre R$ 100 mil e R$ 200 mil para pagar dívidas e investir na estrutura do empreendimento, que emprega pessoas com Síndrome de Down. Mas na penúltima pergunta, a dupla perdeu os mais de R$ 111 mil que já havia conquistado.

Os dois estavam separados e sem contato nesta etapa do jogo. Coube a Delfino, sem saber o que havia acontecido no palco e quanto haviam ganhado até então, decidir se escolhia apenas o valor do contrato da primeira etapa do jogo: R$ 26.801, além de R$ 3 mil por resposta certa, o que totalizaria R$ 32.801. Se aceitasse, a dupla ficaria com esse valor. Se rasgasse o contrato, ficaria com o dinheiro arrecadado no jogo todo, que, naquele momento, era zero. Sem ter essa informação, Delfino optou por rasgar o contrato.

Foi um final triste, mas pontuado por um emocionante discurso de Giorgio:

– A gente poderia ter saído com muito dinheiro, mas saiu com muito amor.

Luciano Huck também reforçou:

– A causa de vocês é maior do que qualquer dinheiro.

Para apoiar o projeto, o apresentador anunciou a criação de uma vaquinha virtual, que já está aberta no site do Caldeirão.

Leia também:

Casal de Itajaí participa do The Wall do Caldeirão do Huck e ganha R$ 88 mil