Conheça os catarinenses que estão revolucionando o mercado de estética

Nanotecnologia promete mudar a rotina de cuidados com a pele

Foto: Divulgação

A revolução da nanotecnologia no mercado de estética começou há cerca de 15 anos, quando a empresa francesa Lancôme lançou um cosmético que transportava vitamina E por nanocápsulas para combater o envelhecimento da pele.

Desde então, diversos gigantes do setor de cosméticos mundial passaram a investir em pesquisas para desenvolver produtos nessa linha. Nesse cenário, Santa Catarina, que já é reconhecido mundialmente como celeiro de inovação tecnológica, começou a ganhar espaço.

— Nós fomos um dos primeiros a investir nesses estudos e fomos ensinando, catequizando nosso público, sobre o que é a nanotecnologia. Agora, estamos presentes em 26 países — destacou a farmacêutica, fundadora e diretora técnica da Nanovetores, Betina Giehl Zanetti Ramos.

Para a diretora, a participação expressiva dessa indústria em todo o mundo é reflexo da efetividade dos produtos desenvolvidos à base de nanotecnologia.

— Estamos falando de algo muito pequeno e, quando a gente torna as coisas menores com um envoltório para proteger esses ativos cosméticos, temos mais eficácia — comenta Betina.

Entenda as diferenças entre cosméticos e nanocosméticos

O primeiro ponto quando pensamos nessa diferença é ter em mente que nanocosméticos remetem ao uso da nanotecnologia.  

A tecnologia permite que ativos naturais, como a vitamina C, fiquem protegidos dentro de uma nanocápsula, que é ativada apenas quando está nas camadas mais profundas da pele.

Imagem: Nanovetores

— Com um invólucro que evita a interação dos nutrientes com outros componentes, como a própria embalagem ou até mesmo oxigênio, a nanocápsula é ativada quando nós quisermos. Esse revestimento só se abre depois de um determinado estímulo. Usamos o gatilho enzimático, ou seja, as enzimas que já temos no corpo atacam as nanocápsulas quando elas permeiam a pele — explica a farmacêutica.

A diferença entre cosméticos e nanocosméticos pode ser observada com mais clareza quando falamos de cremes com vitamina C. Não é raro vermos um cosmético com esse ativo escurecido, já que a vitamina oxida muito rapidamente em contato com o ar e a embalagem.

— Com nanopartículas, evitamos o contato do produto com o oxigênio e permitimos que ele vá intacto até o seu alvo de ativação — destaca Betina.

Sustentabilidade que gera eficiência

Outro importante diferencial dos nanocosméticos é a biocompatibilidade, que, além de ser sustentável e de não agredir o meio ambiente, ainda torna os produtos mais eficientes.

— Essa característica ainda dá outro aspecto muito importante ao nanocosméticos, que é a liberação prolongada. Como são biodegradáveis, ativamos essas nanocápsulas por enzimas naturais do corpo, que fazem pequenos furinhos liberando o ativo aos pouquinhos. Isso significa efetividade por até 10h ou 12h desde o momento que aplica. É uma nova realidade nesse universo — enfatiza a fundadora e diretora técnica da Nanovetores.

Em todo processo industrial dos nanocosméticos são valorizados materiais de fontes naturais, biocompatíveis e biodegradáveis.

— Não usamos nenhum componente como acetona ou etanol. Isso também reflete em segurança para o nosso colaborador e ambiente de trabalho, além segurança para os consumidores — informa.

Conquistando o mercado de estética

A eficiência dos nanocosméticos conquista o mercado de estética, que percebe neste novo caminho uma importante melhora em tratamentos combinados.

— Em sete dias já é possível visualizar o resultado de tratamentos com cremes, o que antes levava um mês. Esse cuidado em casa é um importante complemento do trabalho de esteticistas. Muitos profissionais estão investindo em equipamentos e técnicas muito mais potentes, e precisam complementar essa melhora com produtos melhores — comenta Betina.

Para chegar ao consumidor final, a indústria conta com importantes nomes do mercado da beleza. A marca Granado, por exemplo, aplica a nanotecnologia em repelentes para bebês, o que reduziu em até cinco vezes o teor do ativo repelente, mantendo a mesma efetividade e garantindo a segurança das crianças.

Foto: Divulgação/@remygoulart

Já a RG Complicité Nanocosméticos apostou na tecnologia para garantir a eficácia de produtos de cuidados com a pele. Com sofisticação, que tem entre os parceiros a marca sinônimo do mercado de luxo, Swarovski, os produtos da linha RG Complicité reúnem ativos naturais, como ácido hialurônico, D-pantenol e vitamina C, para combater as principais características de envelhecimento precoce e manchas de pele.

Conheça a RG Complicité Nanocosméticos surpreenda-se com o poder dos nanocosméticos.