Chitãozinho afirma que turnê Amigos será “puro hit para se emocionar e matar saudades”

Grupo reúne Leonardo e as duplas Chitãozinho & Xororó e Zezé Di Camargo & Luciano

Amigos
Foto: Felipe Martini/Rede Globo/Divulgação

Os fãs de música sertaneja podem preparar a voz para entoar todos os hinos dos anos 1990. É o AmorEvidênciasNão Aprendi a Dizer Adeus e tantos outros estarão no repertório da turnê de Amigos, grupo que reúne Leonardo e as duplas Chitãozinho & Xororó e Zezé Di Camargo & Luciano.

— São três horas de puro hit. Músicas para o povo cantar, se emocionar, se encantar e matar as saudades — resume Chitãozinho ao F5. Ele cita como exemplo a música de abertura do show, um medley de Disparada, dele com o Xororó, Sinônimos, de Zé Ramalho, Pense em Mim, de Leandro e Leonardo, e É o amor, de Zezé di Camargo e Luciano.

Chitãozinho afirma que a ideia da turnê veio em um momento oportuno em que a música dos anos 1990 voltou com força (vide a correria por ingressos para o show de seus sobrinhos Sandy & Junior) e a marca de 20 anos desde a última reunião do grupo.

Já Luciano dá uma visão mais romântica do reencontro e diz que foi a concretização de um desejo antigo dos sertanejos:

— Cantar com os amigos é uma vaidade pessoal nossa. Não é por dinheiro ou para alavancar a carreira. […] Sempre que a gente se encontrava, em qualquer lugar, a gente falava da época de Amigos. A gente amava aquilo e só temos memórias boas daquela época.

O primeiro show Amigos, com Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo e Zezé Di Camargo e Luciano, foi realizado em 1995, em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, e os ingressos eram trocados por brinquedos e alimentos.

— Era fim de ano, queríamos arrecadar ajuda — lembra Chitãozinho.

O show, em que os músicos trocaram de parceiros e cantaram canções uns dos outros, foi exibido também pela Globo dois dias antes do Natal daquele ano. Com o sucesso, vieram edições similares em 1996, 1997 e 1998. Esta última, teve tom mais triste, já sem Leandro, que morreu em junho daquele ano de câncer de pulmão.

A turnê manterá a composição original, com os cinco cantores, e o nome de Leandro não ficará de fora. Ele será mencionado por diversas vezes no show, garantem Luciano e Chitãozinho. Em uma delas, fotos suas serão projetadas no telão ao som de Mano, música escrita por Leonardo em sua homenagem e entoada junto com Chitãozinho.

Luciano, aliás, se refere frequentemente o grupo como os seis amigos ou as três duplas:

— Leandro sempre está conosco em memória, digo isso de coração.

 O irmão de Xororó diz que a ideia é focar mesmo nos hits das duplas.

Já Luciano prevê atrair um público maior do que aquele que ouviu ao vivo ou pela TV os primeiros shows do grupo, entre 1995 e 1998, e seu programa dominical na Globo em 1999:

— Todos passaram por uma renovação do público. A gente tem essa preocupação de não levar o show para aquele momento específico de 1990, mas sim trazer todos os sucessos das três duplas.

Os dois indicam ainda que a turnê pode trazer músicas inéditas entoadas pelos cinco.

— Mesmo antes de anunciarmos o projeto, já estávamos recebendo composições. Chegamos a escutar algumas em estúdio, quando definíamos as músicas do show, mas nada foi escolhido ainda — diz Luciano, que fala até em uma lista de inéditas para o Spotify. — O que vier para os Amigos, eu estou dentro.

Outra presença garantida no show é a camiseta com a palavra “Amigos”, que virou uma marca registrada do encontro musical. “Caçula” do grupo, Luciano conta estar ansioso pelas novas apresentações ao lado de nomes que cresceu admirando, em especial Chitãozinho e Xororó.

Sem falsa modéstia, Chitãozinho reconhece seu papel de ídolo da nova geração de sertanejos:

 — Todos eles reverenciam a gente, somo os espelhos deles. Eles sempre falaram isso pra nós e isso passou pro povo, essa saudade, essa vontade de ouvir EvidênciasFio de cabelo, músicas que valem a pena ser ouvidas de novo.

 Ele diz ainda que o projeto Amigos “foi uma injeção para inspirar muitos jovens e crianças que sonhavam em ser artistas”.

A agenda inicial inclui apresentações em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, mas, segundo Luciano, é grande a chance de a agenda se expandir para 10 ou 15 shows até o ano que vem. O segundo show da turnê, em 7 de setembro, no Allianz Parque, em São Paulo, será exibido pela Globo e há expectativa também de que vire um DVD.

Agenda de shows

Onde – Belo Horizonte, no Estádio Mineirão
Quando – 20 de julho
Venda de ingressos a partir de 14 de maio

Onde – São Paulo, no  Allianz Parque
Quando – 7 de setembro
Venda de ingressos a partir de 17 de maio

Onde – Porto Alegre, na Arena do Grêmio
Quando – 23 de novembro
Venda de ingressos a partir de 23 de maio

Onde – Rio de Janeiro, na Arena Jeunesse
Quando – 14 de dezembro
Venda de ingressos a partir de 30 de maio