Cidade italiana oferece R$ 38 mil para atrair novos moradores

Medida tem como objetivo ampliar a população de Locana, que hoje é de apenas 1,5 mil habitantes

Locana é uma pequena cidade localizada na região do Piemonte, na Itália. Foto: Divulgação / Município de Locana

Enquanto algumas cidades sofrem com o excesso de moradores, outras enfrentam justamente o problema contrário: por conta da falta de habitantes, elas correm o risco de desaparecer. Por este motivo, seus representantes tomam providências um tanto quanto inusitadas para resolver a situação.

Um exemplo é Locana, uma pequena cidade localizada na região do Piemonte, na Itália, cujo o prefeito, Giovanni Bruno Mattiet, está disposto a pagar até 9 mil euros (aproximadamente R$ 38 mil) durante três anos para famílias que desejarem residir em meio aos picos nevados da região, desde que tenham um filho e possuam um salário mínimo anual de 6 mil euros (R$ 25 mil). As informações são da CNN.

De acordo com Mattiet, a população que em 1900 era de 7 mil moradores, hoje em dia se resume a apenas 1,5 mil habitantes.

— Nossa escola enfrenta todos os anos o risco de fechar devido a poucos alunos. Não posso permitir que isso aconteça — afirma Mattiet.

A cada ano, Locana registra uma média de 40 mortes e apenas 10  nascimentos. Na Itália, este é um cenário familiar: nos últimos 30 anos, uma em cada quatro pequenas comunidades se tornou uma cidade-fantasma. Agora, existem 139 aldeias com menos de 150 habitantes.

Inicialmente, a proposta do prefeito de Locana se aplicava apenas a italianos ou estrangeiros que já residiam no país. Como não obteve um bom retorno, o prefeito decidiu ampliar o leque e oferecer a oportunidade também para pessoas do Exterior.

— Estamos procurando atrair principalmente jovens e profissionais que trabalham remotamente ou estão dispostos a começar uma atividade aqui. Há dezenas de lojas fechadas, bares, restaurantes e lojas apenas esperando por novas pessoas para executá-las — diz ele.

Locana não é a única cidade do Piemonte em busca de crescimento no número de habitantes. Em Borgomezzavalle, o prefeito, Alberto Preioni, está apostando suas cartas em uma jogada que acredita que será certeira para ampliar a população, que, atualmente, se resume a 320 pessoas. Além de vender casas por apenas  1 euro (R$ 4,22), ele também está pagando todos que chegam na cidade e decidem começar uma nova família.

Em entrevista à CNN, Preioni contou que Borgomezzavalle foi fundada em 2016, a partir de uma fusão de duas aldeias vizinhas que estavam desaparecendo.

— Temos muito dinheiro para investir, mas precisamos de crianças e jovens. É por isso que estou oferecendo mil euros para cada recém-nascido e outros dois mil euros para qualquer pessoa que queira iniciar um negócio — afirmou.

Leia também: 

Férias legais: passageiros têm direito a indenização em caso de problemas na viagem

Uma viagem pelos melhores destinos de Portugal e Espanha

Viagem: jornalista mostra roteiro de 10 dias para explorar as paisagens do Chile