Claudia Rodrigues fala sobre tratamento para esclerose múltipla e uso de canabidiol

Afastada das atividades por conta da doença, ela garantiu que se sente pronta para voltar a atuar

claudia rodrigues
Foto: Rede TV/Reprodução

A atriz Claudia Rodrigues, 47 anos, desabafou sobre seu tratamento para esclerose múltipla no programa Superpop, da Rede TV!, de segunda-feira (13). Afastada das atividades por conta da doença, ela garantiu que se sente pronta para voltar a atuar.

— Melhorei muito, estou bem melhor. O que me falta é equilíbrio, mas devagarinho vai. Tomo antibiótico e antiviral todo dia. Leite, açúcar, chocolate, glúten, ovo não posso, cortei tudo.

Claudia revelou que utiliza canabidiol, um dos princípios a revelando utilizar um dos princípios ativos da maconha.

— Essa é a melhor coisa que tem. São gotas concentradas de canabidiol que você toma. Tomo 30 por dia. Antes tremia, não tremo mais — afirmou.

A atriz destacou que precisa realizar exercícios físicos diariamente:

— A esclerose é uma inflamação, então tem que malhar, comer e dormir direito. Se não, perde fibra muscular.

Na entrevista, Claudia relatou como descobriu a doença:

— Em 2000 eu fazia a peça Monólogos da Vagina e, do meio para o final, senti o braço ficar dormente. Acharam que eu ia infartar. Fui para o hospital, fiz todos os exames e deu esclerose múltipla. O médico disse: “Não tem cura, pode deixar de andar, falar, ouvir… Está na merda”. Tive um surto em 2007 e pararam com A Diarista (seriado da TV Globo). Não conseguia decorar, me mandaram tratar.

A atriz sofreu muito na época:

— Minha filha (Isa, de 14 anos) sofreu muito. Ela perguntava para minha empresária: “Minha mãe vai morrer? Vai ficar aleijada?”. Escuto isso e choro sem parar. Ela me deu muita força.

Claudia também ressaltou que quer voltar a trabalhar. Seu retorno tem data marcada:

— Dia 17 de setembro estou voltando a atuar em Curitiba, com Diogo Portugal, Marcelo Médici e David Pinheiro, fazendo humor.

Ela não descarta voltar à TV:

— Se quiserem, eu volto. Quero trabalhar. Eu quis me tratar para falar “agora estou pronta”.

Leia mais notícias sobre saúde