Cléo Pires e Bruna Marquezine acendem o alerta: precisamos falar sobre padrões!

Foto: Instagram/Reprodução

Nas últimas semanas Cléo Pires e Bruna Marquezine foram bombardearas por mensagens ofensivas por causa da suas aparecias, uma chamada de gorda e outra de magra. E aí fica uma pergunta no ar, o que é belo para você? 

Você já parou para se questionar se realmente aprova os padrões de beleza impostos na sociedade? Se concorda com a ditadura do “corpo perfeito” com a qual nos acostumamos, forçadamente, a conviver?

Na coluna de hoje vou falar sobre o assunto com auxílio da especialista em relacionamento e autoestima Gisele Martins, que tem como missão ajudar mulheres a resgatar seu amor próprio e autoestima. Isso, através da valorização da sua imagem, reconhecimento dos seus talentos e encorajamento para viver os seus sonhos, não os seus medos! 

Ela começa me falando que “corpo perfeito”, saúde, bons relacionamentos e felicidade são coisas totalmente distintas. Uma não depende da outra!

Esses dias me peguei vendo uma foto que apareceu como lembrança do Facebook. Na mesma hora, compartilhei com uma amiga que estava na fotografia comigo. Quase que, simultaneamente, comentamos: “Meu Deus, como a gente era magrinha, bonita e ainda se achava gorda, vivia vendo defeitos”.

Fiquei pensando o quanto vivemos insatisfeitos com o presente e com aquilo que estamos vivenciando, o quanto os padrões impostos pela sociedade nos influenciam, bem como as crenças que carregamos a respeito do nosso valor.

Com tantos julgamentos e referências de “perfeição estética”, pode ser doloroso se olhar no espelho, se amar e se aceitar, mas entenda que você não é obrigada a se enquadrar. Intervenções estéticas, dietas malucas, insatisfação pessoal e brigas incessantes com o espelho. Isso cansa!

Viver cobiçando outros corpos e sendo julgada por não se parecer com as celebridades que ilustram as capas de revistas, é realmente desgastante para a maioria das mulheres.

Não por acaso, o Brasil é o país campeão em número de cirurgias plásticas, segundo dados da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), de 2014. A grande procura pelo bisturi, em grande parte, deve-se aos padrões estabelecidos pela mídia, que geram nas mulheres uma sensação de desconforto e inadequação.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Feliz Ano Novo 🤍 Seja muito bem vindo 2020!

Uma publicação compartilhada por Bruna Marquezine ♡ (@brunamarquezine) em

Pensa comigo, recentemente Bruna Marquezine fez algumas aparições bem mais magra e para muitos está feia e com aparência de doente. Já Cléo Pires está sendo taxada de gorda e desleixada, por ganhar alguns quilos. 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Saudação ao Sol Álbum #faseazul

Uma publicação compartilhada por GypsyVikingWitch (@cleo) em

Por sua vez, Paolla Oliveira foi repreendida por exibir suas curvas, denominadas de muito avantajadas e com celulite. E para fecharmos esse parâmetro, vamos falar de Gracyanne Barbosa, chamada de homem por ter o corpo sarado.

A verdade é que a maioria de nós não está satisfeita. A todo momento somos bombardeadas com padrões a serem seguidos. Seja ao se alimentar, a parecer mais jovem, mais magra, ao comprar uma roupa ou a mudar o cabelo, o que afeta, e muito, em como construímos a nossa relação com nós mesmo e com o mundo.

A confiança feminina em relação ao próprio corpo está caindo de forma contínua e a baixa autoestima corporal está se tornando um desafio unificador e comum a mulheres e meninas do mundo todo independentemente de idade ou região.

Uma conhecida campanha da marca Dove, que já dura mais de 10 anos, chamada “Real Beleza”, também traz números impressionantes. A edição mais recente mostrou que apenas 4% das mulheres em todo o mundo se consideram bonitas. Quatro por cento! Isso é muito triste! Outro número importante revelado por esta pesquisa é que 72% das garotas sentem uma imensa pressão para serem bonitas. Que loucura, não?

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Dove Global Channel 🌎 (@dove) em

É um dado chocante, mas compreensível diante de padrões de beleza na sociedade tão opressores. Procuramos por respostas ou maneiras de fazer as coisas, como se ao encontrar um padrão vivido por outro nos fosse oferecer a mesma alegria que o outro um dia teve. Nem sempre isso acontece. 

Em vez de vivermos de julgamentos e críticas, devemos ousar, aparecer e deixar que nos vejam. Isso é viver com ousadia, com liberdade! Estamos aqui para criar vínculos com as pessoas, não competição. Amor e aceitação são necessidades irredutíveis de todas as pessoas, não beleza ou qualquer tipo de padrão. 

Valorize o que você é

Se tem uma coisa que eu aprendi ao longo de mais de 20 anos trabalhando com pessoas, é que não há nada mais afrodisíaco do que GENTE QUE SE DÁ BEM CONSIGO MESMA. Deixo aqui, uma pequena contribuição para te ajudar a elevar a sua autoestima e amor próprio. 

Seja gentil com você! Eu sei, talvez você nem saiba como fazer isso… Eu vou mesmo te ajudar. Ser gentil consigo é isso: é olhar pra si mesma e se dar uma chance. Ser menos dura, radical, ranzinza consigo. Olhar para si e dizer: “Você é uma boa mãe, calma”, “Você uma mulher inteligente”, “Você é tão bonita” “Você  não é burra, só fez uma má escolha”.

É acreditar em você e reconhecer que a beleza da vida não está na perfeição, mas no caminho percorrido com felicidade. Lembre dos seus talentos. Sempre tem aquela voz interna que adora nos lembrar dos “nossos defeitos e limitações”. Mas você não é aquela voz. Quando você passa muito tempo acreditando que é inferior ou que não tem capacidade, cria crenças limitadoras, que te impedem de obter melhores resultados. E não é isso que a gente quer.

Desse modo, faça um acordo com você mesma e, sempre que um pensamento negativo chegar, substitua-o por outro que eleve sua autoestima. Lembre-se de que você é um ser único, especial, incrível e merecedor de toda felicidade.

Se você não sabe quais são os meu talentos, então solicite uma ajudinha para as pessoas mais próximas. Manda uma mensagem pra elas e peça que enviem três das suas maiores qualidades, na opinião delas. 

Diga NÃO à comparação

Já dizia Theodore Roosevelt “A comparação é o ladrão da alegria”.  Não faça isso com você! A sua história é única e ela te trouxe até aqui, com tudo de bom e não tão bom assim. Se você não está satisfeita com os seus resultados, pode ter certeza de que não é se comparando ao outro que você encontrará a solução. Pelo contrário, a comparação nos paralisa e nos cega para tudo aquilo de bom que realizamos.

Quer mudar, melhorar, evoluir? ÓTIMOOO! Isso é necessário e maravilhoso. Mas faça isso por você, pra você! Toda mudança começa com o primeiro passo. Qual será o seu?

Mova se!

Fazer atividades físicas como caminhar todos os dias e fazer exercícios pelo menos três vezes por semana  faz bem e todo mundo sabe, não é mesmo? Mas, o que nem todos sabem é que essa prática ajuda a elevar a autoestima, diminuir o estresse, aumentar a imunidade, dentre tantas outras coisas. Eu não sei você, mas eu costumo ser preguiçosa para começar, mas depois que termino qualquer atividade física, fico cheia de energia, entusiasmo e até mais acho mais forte e bonita!

Corrida na Praia – Foto Diego Vara BD 5.2.2011

Agradeça!

Acredite, não há felicidade sem gratidão. Os nossos sentimentos são resultado daquilo que pensamos. Por isso estar feliz ou não é resultado do nosso pensamento. Você pode pensar que está feliz ou que está infeliz. A decisão é sempre sua, porque você não pode controlar tudo que lhe acontece, mas como reage ao que acontece, sim.

Então, vamos parar com esse negócio de “Ó vida, ó céus, ó azar”? Você está viva e isso é motivo mais do que suficiente para ser completamente grata. Te convido a filtrar o seu olhar e agora mesmo, pensar em três coisas pelas quais você é grata, hoje. Agora, torne isso uma prática diária e veja verdadeiros milagres acontecerem em sua vida.

Busque o autoconhecimento

“Conhece-te a ti mesmo”, Sócrates. Você só poderá amar verdadeiramente a pessoa que está aí dentro de você quando conhecê-la por completo. Seu propósito, sonhos, anseios, talentos, ambições, valores, medos, sombras. Por esse motivo, o autoconhecimento é um passo muito importante no desenvolvimento da autoestima.

A falta dele, nos fragiliza em demasia, com a preocupação a respeito que os outros pensam, dizem, expressam e sentem a respeito de nós, o que pode nos deixar frustradas, inseguras, medrosas, infelizes.

Quando não nos conhecemos, damos muito poder a tudo e todos, no mundo externo e isso sempre resulta em baixa autoestima, pois ela decorre da falta de capacidade de reconhecer os nossos pontos positivos, através do nosso próprio olhar.

Como você pode notar, a autoestima não é só um sentimento, mas também uma forma de encarar a vida. Além disso, você já percebeu que depende de cada um desenvolver ou não este sentimento, já que ele vem de dentro e não de opiniões externas.

Pare através de você esse culto a corpos perfeitos e irreais. O artigo de hoje é um convite para passarmos a nos amar mais com todas as nossas imPERFEIÇÕES! Somos únicas, e esse é o nosso poder! “Quem booora?”

Leia mais:

Durante a gravidez é possível fazer tratamentos estéticos?

Estética paliativa: conheça mais sobre essa técnica

Depois do sucesso de aplicativo de envelhecimento, veja dicas para manter a pele jovem por mais tempo

Lidiane Amaral
Esteticista e empresária. Ao longo dos 15 anos que atua na área da estética e beleza, desenvolveu diversos tratamentos com o objetivo de trazer resultados satisfatórios e que ajudem a melhorar a autoestima da mulher. Com dedicação e trabalho se tornou uma profissional diferenciada e de referência na Grande Florianópolis. Atualmente conta com uma equipe altamente qualificada, que segue os métodos desenvolvidos, e que tem o propósito de proporcionar uma experiência de beleza única, com foco no resultando, respeitando sempre a individualidade de cada cliente.