Como harmonizar cervejas com os dias mais frios de outono e inverno

Foto Aicó, divulgação

Comer é uma das experiências mais prazerosas e memoráveis do ser humano, todo mundo tem alguma memória afetiva ligada a uma refeição. Em harmonizações podemos constituir mais experiências incríveis, elevando um prato e uma bebida a outro patamar.

Há quem associe apenas o vinho em climas mais frios, mal sabem que a cerveja também pode ser uma grande aliada. Para se aquecer, opte pelas cervejas mais alcoólicas, maltadas e complexas. Estilos potentes como Dark Strong Ale, Barley Wine e Imperial Stout são boas pedidas, a temperatura de serviço destes estilos ficam em torno de 10º a 18ºC. Taças mais baixas e com a base larga são ideais para o consumo.

Imperial Stout. Foto Aicó, divulgação

A harmonização é como a música e a dança, tem que ter sincronia, mesmo ritmo, equilíbrio e coerência. Para conseguir fazer essas associações é necessário, primeiro, parar e prestar atenção no que estamos comendo e bebendo. Qual a cor, aroma, gosto, textura? Ficamos tão no automático que esquecemos de valorizar esses momentos da refeição, onde há uma sintonia consigo mesmo, com o alimento e com quem preparou.

Técnicas consagradas

Existem algumas técnicas consagradas, e que não precisam ser seguidas como dogmas, mas nos ajudam a encontrar a melhor combinação e evitar cometer grandes erros na hora de harmonizar.

A primeira delas é buscar o equilíbrio de potências, pratos leves com cervejas leves e refrescantes, pratos complexos com cervejas mais fortes. Como estamos falando de cervejas mais encorpadas e alcoólicas, abuse dos pratos mais potentes, carnes vermelhas, queijos curados, charcutaria, e outras infinitas possibilidades.

A segunda dica é buscar analogias e similaridades. Carnes grelhadas formam uma superfície caramelizada e vai muito bem com cervejas com maltes tostados que também possuem notas carameladas como a Bock. Um molho de ervas pode ir muito bem com cervejas com notas herbais provenientes do lúpulo.

A terceira e última técnica é fazer associações de complementação ou contraste que equilibram o paladar ou valorizam mais um sabor desejado. O contraste de pratos salgados com cervejas que tem dulçor do malte gera um equilíbrio no paladar. Para quem gosta de pratos apimentados, o amargor do lúpulo enfatiza o picante, por outro lado o amargor pode cortar a gordura ou amenizar o dulçor de um ingrediente.

Harmonize na sobremesas também. A já consagrada combinação de cervejas torradas e chocolates faz sucesso e vale a experiência, os aromas torrados da cerveja e do chocolate entram em sintonia ao mesmo tempo que o dulçor do chocolate se contrasta com o torrado do malte equilibrando os sabores. Experimente uma Imperial Stout com chocolate meio amargo.

Em questão de gosto não pode ser absoluto, o que é bom pra você pode não ser interessante para outro. Então conheça mais seu paladar e se abra para experimentar sabores novos, ingredientes inusitados e aquele estilo de cerveja que sempre teve curiosidade de conhecer. Uma das principais funções da cerveja é nos dar prazer, e não pode ser algo complicado. Experimente sempre e se divirta.

Leia mais:
Bebida típica do Caribe, o run aparece como novo queridinho de bartenders
Vinhos verdes de Portugal são os mais exportados depois do vinho do Porto
Quatro dicas de como armazenar e conservar seu vinho