Como você lida com as críticas no relacionamento?

A forma como reagimos às críticas dos nossos parceiros diz muito sobre nós, sobre a nossa maturidade emocional e sobre o funcionamento da relação em si. A Orientadora Emocional Camilla Couto explica por quê.

casal
Foto: Katiuscia Zanatta/Divulgação

“Como você reage quando recebe uma crítica do seu parceiro ou parceira? Você é capaz de receber e analisar o que o outro diz sobre você numa boa? Ou, antes mesmo de processar as palavras, revida logo com uma crítica contrária?” A pergunta é da Orientadora Emocional Camilla Couto, que trabalha com foco em relacionamentos, e, segundo ela, a resposta é extremamente importante para entender nosso comportamento emocional.

— A forma como você reage a uma crítica fala muito sobre como você lida com as próprias emoções.

Segundo Camilla, temos duas formas de reagir, ao sermos criticados pelo nosso amor: ou somos receptivos e escutamos, ponderamos, de forma aberta e curiosa, ou somos reativos, nesse caso, mal escutamos e já contra-atacamos, muitas vezes até começando uma briga.

— Uma coisa importante a dizer é que a reação a uma crítica nada tem a ver com o fato de ela estar correta ou não. Uma crítica nada mais é do a opinião do outro sobre algo em nós. Temos o direito de concordar com ela ou não. A verdade é que todos estamos sujeitos a receber críticas por onde passamos – em casa, no trabalho, no círculo de amizades, na família. E o ato de receber uma crítica não quer absolutamente dizer que estamos fazendo algo de errado — lembra a orientadora.

Para ela, o que não pode acontecer é deixar que as emoções tomem conta de nós ao sermos criticados. Isso porque, no calor da emoção, fica difícil, inclusive, entender o que o outro realmente quer dizer.

— Quando percebemos a crítica como uma ameaça, reagimos com raiva, orgulho e vaidade, e aí, partimos para o contra-ataque e não nos permitimos o tempo necessário para entender o que nos está sendo criticado. Fora que, nesse caso, o outro provavelmente também sentirá a necessidade de se defender e, então, a confusão está formada. Esse é um típico exemplo de uma briga que começa “do nada” — explica Camilla.

Por outro lado, segundo ela, quando conseguimos nos manter calmos e centrados, no controle das nossas emoções, temos a chance de compreender o que o parceiro realmente tem a dizer.

— Conseguimos discernir se a crítica faz sentido – se há efetivamente algo em nós a ser olhado e modificado (quando possível), ou se o ponto de vista nos parece equivocado. As críticas podem, sim, ser construtivas. Talvez o outro esteja enxergando algo em nós que somos capazes de melhorar, mas não havíamos nos dado conta — afirma.

Nem sempre as críticas são uma forma de dizer que estamos errados, mas, só conseguimos perceber a importância real da crítica se estivermos em equilíbrio com nossas emoções.

— A questão não é sobre estar certo ou errado. Ser melhor ou pior do que o outro. Ter ou não razão. Esse jogo de poder e competição é totalmente nocivo para a relação e, se ele existe, há algo errado acontecendo, já que relacionamento é parceria — reafirma Camilla.

Para ela, ficar disputando espaço e preponderância na relação é pura perda de tempo. E, talvez, até mesmo falta de amor.

— O que eu quero dizer quando digo que a forma como reagimos a uma crítica diz muito sobre nós é que quando estamos em dia com a nossa própria forma de ser, isto é, quando há amor-próprio, autoconfiança e autovalorização, temos a consciência de estarmos dando o nosso melhor. Portanto, quando nosso amor-próprio está fortalecido, nos sentimos mais preparados a receber críticas. Acolhemos as opiniões do outro com mais facilidade e abertura, e somos menos reativos — revela.

Camilla finalizando lembrando:

— Observe seu modo de receber críticas, de lidar com o modo como o outro pensa, inclusive sobre você. Ser receptivo ou reativo são formas diferentes de lidar com algo que é real: nem sempre faremos o melhor aos olhos dos outros e nem sempre vamos agradar. E está tudo bem! O importante é perceber como as críticas chegam até nós, para que não percamos nosso equilíbrio emocional e sejamos capazes de manter relações leves e harmoniosas.

Leia mais:

Youtuber Fred Elboni lança sexto livro sobre relacionamentos

Relacionamentos: como detectar e a lidar com a Síndrome de Walt Disney

Coisas que as mulheres odeiam nos homens