Confira seis hábitos que impedem o emagrecimento saudável

Foto: Pexels

Seguir uma dieta, iniciar atividades físicas ou até mesmo optar uma cirurgia bariátrica. As estratégias para emagrecer são várias, mas todas elas costumam falhar por um mesmo motivo: a dificuldade que as pessoas têm de mudar hábitos. Construídos ao longo da vida, eles são difíceis de serem abandonados, mesmo que a pessoa tenha consciência que se tratam de algo ruim para a saúde. Assim são os hábitos.

A especialista em emagrecimento Mari de Chiara apresenta hábitos que mais boicotam a perda de peso definitiva:

 

Dormir pouco

“Dormir bem regula os níveis de grelina e leptina, hormônios que, respectivamente, regulam a fome e a sensação de saciedade”, explica Mari De Chiara. Esses hormônios, quando desregulados, afetam o controle do peso pois a pessoa está sempre com fome. Não ter uma rotina de sono adequada, com pelo menos 6 horas por noite, atrapalha a perca de peso.

Não planejar a alimentação

Quem não planeja as refeições, perde o controle sobre a quantidade de carboidratos, proteínas e gorduras que ingere. “Uma dica para quem come em restaurantes por quilo, por exemplo, é observar o que há disponível, planejar a refeição e depois entrar na fila para pegar os alimentos”. Quando a refeição é feita em casa, a dica é planejar as compras da semana, garantindo que sempre haverá opções de proteínas magras, frutas e verduras. “Também vale a pena escolher um prato pequeno para servir a comida. Pratos muito grandes disfarçam o tamanho das porções e a pessoa nem percebe que exagerou.”

Comer sem prestar atenção e sem mastigar bem

Alinhado com o planejamento das refeições, prestar atenção ao que se come é um hábito que deve ser praticado apesar das distrações. De acordo com um estudo da Universidade de Surrey, na Inglaterra, divulgado pelo Journal of Health Psychology, manter o foco na comida durante as refeições provoca maior sensação de saciedade. “Você deve se alimentar com calma para que seu organismo entenda exatamente quando está saciado”, indica De Chiara.

A mastigação dos alimentos é um ato importante no processo da alimentação. “Quando o alimento chega ao estômago, essa informação demora cerca de 20 minutos para chegar ao cérebro, portanto, o ato de comer lentamente possibilita que o cérebro entenda, eficientemente, a mensagem enviada pelo hormônio da saciedade, a leptina”, afirma. Comer devagar também é uma forma de valorizar a refeição e ajuda a degustar melhor cada alimento.

Ingerir líquidos durante as refeições

“Beber água ou líquidos durante as refeições estimula o aumento do volume do estômago, o que faz com que você tenha vontade de comer mais”, explica. O ato de comer sempre tomando líquidos deve ser evitado para que não se torne um costume. Caso seja necessário, tome apenas 100ml de água depois das refeições, aos poucos vá eliminando completamente.

Pular o café da manhã

“Não comer pela manhã faz com que seu corpo não se prepare para o dia, portanto, isso te deixa cansado e sem energia. Tomar um bom café da manhã repõe as energias depois de uma noite de sono e impede que você coma exageradamente no almoço, por exemplo”. O café da manhã também ajuda a evitar os picos de insulina e regular as chances de se desenvolver diabetes do tipo 2.

Não beber água

A ingestão de um volume adequado de água ajuda no emagrecimento. “A pessoa pode seguir a seguinte regra: beber diariamente 35ml para cada quilo. Uma pessoa que pesa 60 quilos, por exemplo, deve beber cerca de 2 litros ao longo do dia”, explica De Chiara.

Leia também:

Está de dieta? Alimentação restritiva pode provocar queda de cabelo

“A saúde deve vir em primeiro lugar”, diz Marília Mendonça, sobre críticas ao seu emagrecimento