Conheça Vitor Kley, o jovem de Balneário Camboriú que desbancou Anitta

Neste mês, a música O Sol superou o sucesso Indecente, de Anitta, no ranking das mais tocadas no Brasil segundo a Billboard — posição em que se mantém, de acordo com a lista divulgada nesta segunda-feira

Foto: Divulgação

O Sol de Vitor Kley está brilhando forte. O hit que dominou o país é de autoria do gaúcho que aos 11 anos foi morar em Balneário Camboriú. Foi de frente para o mar ele compôs a canção que vem despontando entre as mais pedidas e escutadas nas rádios. Neste mês, a música superou o sucesso Indecente, de Anitta, no ranking das mais tocadas no Brasil segundo a Billboard — posição em que se mantém, de acordo com a lista divulgada nesta segunda-feira (23).

Aos 23 anos, o jovem foi apadrinho por Armandinho e segue um estilo praiano, agora sobre a supervisão de Rick Bonadio, conhecido por lançar bandas como Mamonas Assassinas e Charlie Brow Jr.

Foi com incentivo da mãe que aos nove anos Vitor começou a tocar violão. Aos 10 já tinha sua primeira composição, É Bem Melhor.

Por e-mail, o cantor respondeu algumas perguntas para a Revista Versar e falou como está lidando com esse sucesso tão inesperado. Confira:

A canção O Sol está despontado em listas onde o sertanejo e o funk dominam. Como vê isso? Seria o começo de uma mudança no cenário musical atual?

Graças a Deus O Sol vem alcançando voos incríveis! Existe espaço para todo mundo, seja qual for o gênero. Acho que está vindo uma leva muito boa de novas bandas. Estou gostando disso!

Aliás, o que você acha desses dois ritmos (sertanejo e funk)? Quais são seus estilos musicais preferidos?

Eu gosto muito de todos os tipos de música, inclusive funk e sertanejo. Tenho vários amigos nesses gêneros musicais. Não sou um cara que tem barreira com música ou algo do tipo. Eu gosto muito de rock, pop, algumas coisas do hip hop, r&b, blues… ah, escuto de tudo! Hahaha!

Quais são suas principais referências na música?

Armandinho, primeiramente, por ter sido meu padrinho. Meus pais escutavam muito The Beatles, Queen, Supertramp, Bryan Adams, Robbie Williams. Tenho uma enorme paixão por Oasis, Coldplay, Post Malone, Sticky Fingers, e por aí vai… de bandas nacionais já ouvi de tudo: Jota Quest, O Rappa, Charlie Brown Jr, tudo mesmo!

O cantor Armandinho tem uma forte ligação com sua história na música. Hoje ele continua contribuindo na sua carreira?

Armando é meu irmão! Ele tem um lugar muito especial no meu coração. Me ajudou muito e até hoje é inspiração. Nos falamos muito, surfamos juntos e estamos sempre em contato.

Como foi a parceria com Rick Bonadio?

Fiz parte da 1ª coletânea de novos artistas do Midas Music, gravadora do Rick. Isso foi em 2014. Ele ouviu meu som e dali para frente quis me conhecer… nos conectamos de primeira! Rick é um paizão para mim e fico muito feliz de estarmos conquistando isso tudo juntos!

Onde e quando compôs o hit O Sol?

Em Balneário Camboriú na casa dos meus pais. Foi em julho de 2016. Lembro como se fosse ontem…

Tem medo de ficar preso a um único hit?

Não… levo a minha carreira numa boa, curto a caminhada. A vida não erra. O que for para acontecer, vai acontecer. Escrevo para as pessoas, quero fazer da vida delas uma alegria e tanta! Se fizer música e as pessoas estiverem felizes, então isso para mim é o maior hit de todos.

Em que momento você conseguiu identificar que sua carreira estava deslanchando?

A música sempre foi um amor gigantesco! A partir do momento que vi uma pessoa sorrindo, escutando meu som feliz, eu vi que seria pra vida toda, ali já me senti pleno. Mas vi que as coisas estavam ficando malucas quando entrei no Uber e ouvi meu som. Fui almoçar e ouvi meu som. Fui para uma festa e ouvi meu som… loucura, mas uma loucura boa! Sou grato a todo mundo que escuta, compartilha e gosta da minha música! Todos são parte disso.

Li em uma entrevista que você começou a compor com 10 anos de idade. Foi por influência de alguém ou aconteceu de forma natural?

Minha mãe me ensinou a tocar com nove anos, dali pra frente viciei no violão. Sempre gostei de escrever redações e criar histórias, quando me apeguei ao violão isso tudo virou música. Sim, a primeira foi com 10 anos… lembro muito bem! Meus professores sempre me incentivaram a escrever, amavam fazer parte das composições! Sou muito grato a eles por isso.

Se lembra da primeira canção que compôs?

Sim! É Bem Melhor, música que escrevi em homenagem a minha avó que faleceu quando eu era moleque.

Agora morando em São Paulo, fazendo vários shows, ainda tem tempo para o surfe?

Faz tempo que não surfo, a correria tá imensa! Graças a Deus! Mas quando posso, vou à praia para relaxar e me inspirar mais.

Seu estilo musical é algo bem praiano. Longe da praia o lado compositor dá uma esfriada? Está compondo alguma coisa agora?

Vivi grande parte da minha vida na praia, no surfe, nessa vibe e naturalmente isso foi ficando evidente na minha forma de compor, de tocar o violão. Estou sim! Tenho inúmeras músicas novas e continuo compondo. É uma coisa que nunca quero parar de fazer… compor faz um bem enorme pra minha alma.

Está curtindo o momento de grande ascensão?

Com certeza! Aproveitando muito a caminhada e deixando a vida me levar. Grato a cada um que faz parte dessa história e pelo carinho da galera… eles são a maior parte disso.

Quais são os seus próximos projetos e trabalhos?

Faz pouco tempo que lancei uma música com meu “irmão” e produtor Bruno Martini. A faixa se chama Morena e a galera está curtindo muito! O Sol continua brilhando muito, então estamos deixando rolar… as músicas é que decidem o tempo certo.

Você é gaúcho, mas morava em Balneário Camboriú. Como começou a sua relação com Santa Catarina?

Mudei para lá com minha mãe e meu irmão aos 11 anos. Meu pai já morava lá. Balneário foi o motivo de muita inspiração. As pessoas que conheci lá são incríveis, a cidade é incrível e as oportunidades que surgiram lá também foram incríveis! Meu pai acertou em cheio quando nos levou para lá! De Balneário vem muitas canções, histórias e momentos lindos!


Leia também:

Youtuber Mariana Nolasco fala sobre sua nova música e os planos para carreira

Sucesso no Youtube: cantoras catarinenses emplacam música em novela