Coronavírus: Conheça melhor a COVID-19 e saiba como se cuidar

A Dra. Sylvia Kowalski, médica pediatra, comenta e explica como o vírus funciona e atua

Lavando as mãos. Jcomp, Freepik
Lavar as mãos ajuda na prevenção contra o coronavírus. Jcomp, Freepik

O coronavírus deixou o mundo em alerta e todos estão tomando os cuidados possíveis para reduzir a velocidade com a qual esse vírus vem espalhando a COVID-19. Nós — Carol Bandeira e Silvia Ozcariz — somos nutricionistas da área materno-infantil, e buscando responder os nossos leitores e pacientes gestantes e com filhos pequenos, chamamos a Dra. Sylvia Kowalski, médica pediatra para comentar e explicar como o vírus funciona e atua.

Segundo a Dra. Sylvia, o coronavírus são uma família de vírus que tem pelo menos 4 subtipos de alta prevalência na espécie humana. Nós os conhecemos desde a década de 1960 e não são novidade para quem é médico. E, o que já sabemos sobre eles? São vírus que surgem principalmente em climas mais frios, causam quadros de resfriados como coriza, tosse, febre e dificuldade respiratória, tanto em crianças, como em adultos.

A Dra. Sylvia refere que doença do coronavírus 2019, ou COVID-19, é uma infecção causada por um vírus específico chamado SARS-CoV-2, um vírus da família dos coronavírus. O vírus apareceu pela primeira vez no final de 2019 na cidade de Wuhan, na China e se espalhou rapidamente desde então. Agora existem casos em muitos outros lugares, incluindo a Europa, Estados Unidos e, mais recentemente, o Brasil e países da América Latina.

CoronavírusPor ser uma espécie nova, não se sabe muito sobre o seu comportamento. Especialistas estão estudando e continuarão aprendendo mais sobre ele ao longo do tempo. E, aí, é que mora o perigo, a falta de informação frente a um desconhecido, muitas vezes, pode causar o pânico. O que já sabemos é que o COVID-19 se espalha principalmente de pessoa para pessoa, através de gotículas, semelhante à gripe. Isso geralmente acontece quando uma pessoa doente tosse ou espirra perto de outras pessoas.

Acredita-se, também, que pode ser possível ficar doente se você tocar em uma superfície que contenha o vírus e depois tocar sua boca, nariz ou olhos. Pelo que os especialistas sabem até agora, o COVID-19 parece se espalhar mais facilmente quando as pessoas estão apresentando sintomas. Também é possível espalhá-lo sem apresentar sintomas, mas os especialistas não sabem com que frequência isso acontece.

Os sintomas geralmente começam alguns dias depois que uma pessoa é infectada pelo vírus. Mas, em algumas pessoas, pode demorar ainda mais para os sintomas aparecerem, o que pode incluir febre, tosse, sensação de cansaço, dificuldade em respirar e dores musculares. O que importa é que a maioria das pessoas tem sintomas leves e algumas pessoas nem sequer apresentam sintomas. No entanto, em outras pessoas, o COVID-19 pode levar a problemas sérios, como pneumonia, dificuldade para respirar, ou até a morte. Isso é mais comum em pessoas mais velhas ou com outros problemas de saúde.

As crianças podem contrair COVID-19, mas parecem ser menos propensas a apresentar sintomas graves. Entretanto, são necessários mais estudos para se confirmar essa informação.

Como reduzir suas chances de obter o COVID-19?

O que espanta na COVID-19 é sua rápida propagação. Então, para ajudar a retardar a da infecção: Lave as mãos com água e sabão com frequência. Isso é especialmente importante depois de estar em público e tocar em outras pessoas ou superfícies.
Esfregue as mãos com sabão por pelo menos 20 segundos, limpando os pulsos, as unhas e entre os dedos. Em seguida, lave as mãos e seque-as com uma toalha de papel que você pode jogar fora.

Álcool em gelDa mesma forma, se você não estiver perto de uma pia, use álcool gel, com pelo menos 70% de álcool para limpar as mãos. Mas, o melhor lavar com água e sabão, se puder.
Evite tocar seu rosto com as mãos, principalmente a boca, o nariz ou os olhos. Tente ficar longe de pessoas que tenham algum sintoma da infecção. Evite multidões. Se você mora em uma área onde houve casos de COVID-19, tente ficar em casa o máximo que puder.

Mesmo se você estiver saudável, limitar o contato com outras pessoas pode ajudar a retardar a propagação da doença. Especialistas chamam isso de “distanciamento social”.
Em geral, a recomendação é cancelar ou adiar grandes encontros, como eventos esportivos, shows, festivais, desfiles e casamentos. Mas reuniões ainda menores podem ser arriscadas.

Se você precisa estar perto de outras pessoas, lave as mãos com frequência e evite o contato quando puder. Por exemplo, você pode evitar apertos de mão e cumprimentos e incentivar outras pessoas a fazer o mesmo.

Cuide da sua imunidade através da alimentação: Consuma pelo menos 5 porções de frutas e vegetais ao longo do dia. Hidrate-se, tome pelo menos 2 litros de água ao dia.
Consuma alimentos fontes de zinco e magnésio como oleaginosas e leguminosas. Consuma alimentos ricos em vitamina C, como laranja, acerola, abacaxi, kiwi, morango, tangerina. Evite ao máximo, alimentos industrializados açucarados. Exponha-se ao sol por pelo menos 10 minutos ao dia.

Agradecemos a Dra. Sylvia Kowalsky pela contribuição nessa coluna.