Criar é resistir: conheça iniciativas na área do design que focam a ligação com o outro

Talvez o que esteja em falta nos obscuros tempos em que vivemos seja a capacidade de perceber improváveis ligações

Felipe Morozini
Cotidiano extraordinário: o tempo da cidade passa pela janela de Felipe Morozini na mostra "Eu me vejo em você" (Foto: Felipe Morozini/Divulgação)

E se a via do consenso não for a mais bela? E se a dúvida proporcionar mais resultados que a certeza? E se a supremacia da função sobre a forma der lugar a um design dialético, em que aparência e utilidade gerem uma nova ótica sobre o mundo das coisas? Talvez o que esteja em falta nos obscuros tempos em que vivemos seja a capacidade de perceber improváveis ligações entre cores, objetos, ideologias, gêneros, sistemas diferentes… O pensamento divergente, a ruptura, a via alternativa da sensibilidade que se opõe à ausência de incertezas e de meios tons, é um valor seminal da prática artística. São esses caminhos desafiadores e belos da arte que nos levam da zona de conforto para a zona de confronto. O maior embate travarei comigo mesmo, e minha melhor arma será o olhar _ do outro. Ou arte, ou barbárie.

O OUTRO SOU EU

Mais um espaço dedicado a exposições e eventos artísticos abriu as portas em Florianópolis: Galeria Pedra. Anexa ao hotel Casa Quatro Oito, que fica no Canto dos Araçás, Lagoa da Conceição, a Pedra tem o objetivo é fomentar a cena das artes visuais na Ilha e ser um espaço de encontros e conexões entre artistas e público. “Também visa projetar artistas locais e trazer nomes nacionais e internacionais através de um futuro projeto de residência artística”, explica Bianca Pereira, proprietária. A galeria foi inaugurada no dia 11 de outubro com a exposição “Eu me vejo em você”, um recorte dos arquivos do multiartista Felipe Morozini, com fotografias tiradas nos últimos 18 anos a partir de um mesmo ponto de observação _ o 13° andar de um edifício antigo no centro de São Paulo, onde ele mora. A exposição vai até o dia 14 de novembro. A Galeria Pedra está aberta às quartas, sextas e sábados, das 18h às 22h.

INSCRITURAS DO GESTO

Texto abstrato: a inscrição do gesto na obra caligráfica de Ivan Jerônimo
À Guimarães Rosa: o neologismo eloquente de Jorge Menna Barreto

A representação artística de vocábulos e frases já há algum tempo invadiu interiores residenciais, comerciais e as ruas. Os poetas concretos já sabiam da força do design das tipografias, e usavam a palavra como expressão imagética do texto. Hoje, o valor das manualidades faz com que a escrita gestual assuma o status de arte. Tanto em obras de denúncia, nas crônicas ou em declarações de amor, em verso ou prosa, reproduzidas com rigor ou em formas abstratas, as palavras, estejamos certos, são imagens.

CENTRO VIVO

O Tralharia Antique.Café.Bar, que fica na rua Nunes Machado, 104, no centro histórico de Florianópolis vem se firmando como um catalisador de reflexões, conexões e ações quanto à área central leste, seus desafios e potencialidades. Com uma programação cultural em curso, que inclui rodas de conversa sobre diversos temas, como imprensa independente, tratamento de lixo, economia criativa e a cena contemporânea das artes visuais na capital, além de feiras, exposições e apresentações musicais, o antiquário-bar assume a condição de aglutinador dos propósitos de desenvolvimento e construção coletiva do espaço urbano compartilhados por aqueles que usufruem, vivem e trabalham naquele entorno.

Leia mais colunas de Sandro Clemes