Estilo “crossfiteiro”: saiba como é a rotina dos adeptos do esporte

Ter tudo registrado online faz tão parte da rotina desses atletas que até um campeonato acontece nesse meio

Foto: Diorgenes Pandini

Se você não for um, com certeza tem um amigo “crossfiteiro” ou ao menos segue algum no Instagram. E você só tem realmente certeza disso porque já viu alguma foto dos treinos desses amantes do esporte.

— Se não postar, não faz efeito — brinca Fabiana Beltrame, proprietária de uma academia de crossfit em Florianópolis.

Publicar fotos nas redes sociais não é um pré-requisito, mas é uma rotina da maioria dos praticantes do esporte. O tema até se tornou brincadeira nos boxes (como é chamado o local de treino).

— O mundo está muito isso, de mostrar tudo na internet. E quem pratica crossfit se sente tão bem que tem vontade de compartilhar esse sentimento com os amigos — justifica.

Angelita Sassi (Foto: Diorgenes Pandini)

Ter tudo registrado online faz tão parte da rotina desses atletas que até um campeonato acontece nesse meio. Os wods (treinos) são registrados no site do Open Crossfit, que inicia dia 21 de fevereiro, e são comparados em um ranking mundial online.

— Os coachs da academia fazem um curso de árbitro para aprovar o registro do aluno na plataforma. São cinco wods e, a cada lançamento do treino, nos mobilizamos na academia para realizar as provas. Os treinos são liberados na quinta-feira e o aluno tem até o domingo para preencher o resultado — explica Fabiana.

Para os dias de prova, Fabiana comenta que a academia ganha um clima de festa e incentivos entre os alunos. Ao som de “você consegue” e “só mais uma”, os alunos são motivados a superar seus próprios limites.

— O box que eu faço incentiva todos os alunos a participar e faz um encontro toda semana. Com isso há uma confraternização dos atletas e toda torcida para cada um dar o seu melhor — comenta a participante do campeonato, Marina Fagundes.

Estilo de vida

Aos 29 anos, Marina relata que o crossfit realmente mudou seu estilo de vida e modo de se relacionar com alimentação e saúde. A rotina atual é cronometrada, com treinos no mesmo horário de segunda a sexta-feira. Nos finais de semana ela concilia a vida de mãe — o filho Arthur tem três anos — com corridas e aulões de crossfit.

— Eu sou uma pessoa mais disposta e muito mais feliz. Sempre fui bem dorminhoca e hoje em dia acordar cedo faz parte da minha vida, é normal pra mim e se não começo o dia me exercitando parece que não rendo.

Marina Fagundes (Foto: Arquivo pessoal)

Praticante desde 2017, a “crossfiteira” incentiva o esporte e já tirou os amigos do sedentarismo.

— Obviamente é uma atividade que exige dedicação, mas é super adaptável. Hoje tenho muitas pessoas queridas por perto, curtindo esse ”vício” comigo. Na minha casa eu que fui fisgada primeiro e depois carreguei o marido para o box comigo. Tem muito casal praticando junto e se incentivando. Crossfit faz bem pra família.

Para Fabiana Beltrame, que além de proprietária da academia é também praticante, o esporte é, de fato, viciante. A atleta olímpica, medalhista mundial, trocou o remo pela modalidade nos boxes e está satisfeita com os resultados da atividade.

— Encontrei no crossfit algo totalmente diferente. Remei por 19 anos, sempre na mesma rotina, e aqui é muito mais dinâmico. Sem contar que senti bastante diferença de força e qualidade de vida. São exercícios funcionais, que a gente leva daqui para o dia a dia.

Fabiana Beltrame trocou o remo pela modalidade nos boxes (Foto: Diorgenes Pandini)

Apesar de já ter pré-disposição para a prática, Fabiana garante que o exercício não se limita a atletas profissionais.

— Muita gente pergunta se tem que se preparar para fazer crossfit. Não tem que se preparar. Se a pessoa é sedentária, vai começar com pesos mais leves, com maior atenção dos coachs. É um esporte para todo mundo.

Começando aos poucos

Quem pratica o esporte há algum tempo costuma ir seis dias na semana para o box, com treinos puxados e muita disposição. Mas, segundo Fabiana, quem está começando precisa pegar leve.

— Pra quem nunca fez a modalidade e está parado há muito tempo, o ideal é começar devagar, duas vezes por semana, e aos poucos ir aumentando pra três, cinco, até seis. É um processo natural: quem começa vê a evolução rápida, se empolga com os resultados e quer fazer mais. Geralmente a pessoa começa pra ficar com um corpo legal, mas continua por que percebe uma melhora na qualidade de vida e começa a fazer movimentos que nunca imaginou fazer. É uma conquista diária.

Segundo a atleta, os resultados já são visíveis no primeiro mês de prática, por isso é mais atrativo que uma academia convencional. A partir dos 13 anos já é liberado iniciar o esporte, com pouca intensidade e cargas bem leves. Fabiana reforça que o importante é começar devagar, respeitar o corpo e ouvir o coach, se preocupando com a postura e execução correta dos movimentos para evitar lesões.

Os movimentos do crossfit unem a ginástica, o LPO (que é o levantamento de peso olímpico) com exercícios aeróbicos, como corrida, bicicleta e remo. Essa junção de atividades foi criada pelo ex-ginasta Greg Glassman, na década de 1990, nos Estados Unidos, na intenção de criar uma modalidade completa, de alta intensidade e com movimentos funcionais.

— Na aula usamos equipamentos de ginástica: argolas e barra fixa, as barras livres de LPO com as anilhas, equipamentos de remo e bicicletas, mas também é possível fazer um treino apenas com o peso corporal. Os treinos são totalmente adaptáveis, por isso todos podem fazer. Se um aluno não pode ou não consegue fazer um movimento, ele faz outro. O importante é treinar — destaca Fabiana.

Para inciar a prática não é necessário adquirir nenhum material, pois são fornecidos pelos boxes. A indicação é utilizar roupa esportiva um tênis. Os valores das aulas podem variar, dependendo da quantidade de treinos na semana e, em média, os planos variam entre R$ 200 e R$ 400 por mês.

Como é um dia de treino

O crossfit se divide em:

1. Mobilidade

2. Aquecimento

3. Técnica do dia, onde são ensinados os movimentos do treino

4. Wod, que é o treino do dia, sempre diferente

Leia também:

Catarinenses adeptos do crossfit relatam os resultados do esporte no corpo e na saúde