Deficientes visuais integram equipe que participa do Revezamento Volta à Ilha

deficientes visuais
deficientes visuais

A prova de Revezamento Volta à Ilha acontece neste sábado e irá receber cerca de 4 mil atletas do Brasil e do exterior. Entre eles um grupo de nove atletas cegos do projeto Sexto Sentido estarão desafiando os 140 quilômetros de corrida, como mostrou o Jornal do Almoço.

Marcos Antônio Laurindo, Rosangela Castro e Cesar Augusto da Silva são três dos atletas que integram a equipe. Marcos perdeu a visão em um acidente automobilístico há 27 anos, já Rosangela nasceu com a deficiência, e o atleta Cesar Augusto enfrentou um câncer que acabou o deixando sem visão. Os três alimentam o mesmo sentimento pelo esporte, que é mais que uma atividade física: é uma paixão.

– Eu abandonei o antidepressivo e hoje vivo só pela endorfina. Já fiz o Volta à Ilha, já participei do Parajasc, e não paro mais. Meu antidepressivo está na corrida -, conta Cesar Augusto que já está na sua segunda edição do revezamento.

O grupo enfrentará o desafio de superação pelos mais variados cenários da capital catarinense. São trechos de trilhas, dunas, subidas e praias com areia fofa que tornam o percurso um dos mais difíceis do Brasil. No entanto, nada que seja um empecilho para o grupo de corredores do projeto Sexto Sentido.

Os atletas da equipe são auxiliados por um guia que os acompanham por todo o percurso, e que participam também de todo o treinamento pré prova.

– É um ano inteiro treinando para o Volta à Ilha. E ao longo do ano também participamos de outras provas. É uma equipe bem grande e que treina sempre -, comenta o coordenador do projeto, Eduardo dos Santos.

A equipe está pronta para a prova, mas ainda precisa de ajuda. Eles já conseguiram um ônibus para transportar os atletas, mas necessitam de um carro de suporte individual e também frutas e hidratação para os corredores. Para ajudar a equipe basta entrar em contato com Rosangela no telefone: (48) 99851-0835.

Leia também: Volta à Ilha deve injetar R$11,6 milhões na economia de Florianópolis

TRECHOS

01 – Saída – Av. Beira Mar Norte (Trapiche) – 7,2 km – Fácil
02 – Bairro João Paulo – Praça Dr. Fausto L.S. Brasil – 4 km – Fácil
03 – Rod. SC 401 – Office Park – 8,3 km – Difícil
04 – Santo Antônio da Lisboa (Praça) – Travessia de barco – 8,0 km – Moderado
05 – Praia da Daniela – 5,1 km – Moderado
06 – Jurerê Tradicional (fim da praia) – 5,3 km – Moderado
07 – Cachoeira do Bom Jesus – Rua Otacílio Costa – 10,4 km – Muito, muito difícil
08 – Praia Brava – Rua Ari Kardec B. Melo – 5,2 km – Difícil
09 – Praia dos Ingleses – Praia, final da R. Dante de Patta – 4,7 km – Fácil
10 – Praia do Santinho – Posto Guarda-vidas – 8,4km – Muito difícil
11 – Praia do Moçambique – 5,7 km – Muito difícil
12 – Barra da Lagoa – Cidade da Barra – 8,1 km – Muito difícil
13 – Praia da Joaquina – Posto Guarda-vidas- 4,9 km – Muito difícil
14 – Praia do Novo Campeche – 7,7 – Muito difícil
15 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri) – 9,3 km – Difícil
16 – Praia dos Açores / Morro do Sertão – 16,4 km – O mais difícil
17 – Tapera – Fazenda da Ressacada – 15,2 km  – Difícil
18 – Via Expressa Sul – Saco dos Limões (Ciclovia) – 6,1 km – Fácil
Chegada – Av. Beira-mar Norte (Trapiche)