Catarinense Filipe Luís, da Seleção Brasileira, relata como a paternidade mudou sua vida

O jogador, nascido em Jaraguá do Sul, é pai de Tiago, 5 anos, Sara, 3, e o pequeno Lucas, de apenas cinco meses

filipe luis e filhos
Foto: Arquivo Pessoal

POR JORGE JR.

A lateral-esquerda do Atlético de Madrid tem dono, por mérito esportivo e qualidade técnica. Mas desde 10 de junho de 2013, quando veio ao mundo o pequeno Tiago, o titular de um dos maiores clubes do mundo percebeu que a prioridade da vida passou a ser outra: ser pai. Filipe Luís Kasmirski, 32 anos, tem três filhos, uma Copa do Mundo nas costas, e vem aprendendo muito a cada dia com as crianças fruto do seu casamento com a espanhola Patrícia Buño Rodriguez. E é um sentimento que nem ele, e nem outros tantos pais, conseguem explicar.

— Foi uma sensação muito estranha, é uma coisa nova na vida. Você não sabe e fica na expectativa de como vai ser a cara dele, de tamanho, se vai ser parecido com quem, e é uma sensação muito diferente. Como o Tiago nasceu de cesariana, aqui (na Espanha) eles botam o bebê no colo do pai e fiquei quase uma hora com ele e foi uma sensação diferente. Não posso dizer o que senti realmente porque nunca tinha sentido nada parecido. Mas a partir daquele momento eu sabia que a minha vida tinha mudado para sempre.

Por telefone, o jogador respondeu perguntas que fugiram do assunto futebol para abrir o coração sobre o seu relacionamento com Tiago, 5 anos, Sara, 3, e o pequeno Lucas, de apenas cinco meses, que estão bombando também nas redes sociais com as fotos fofas postadas por Filipe e Patrícia.

Apesar de estar em pré-temporada na Espanha, onde mora com a família, o jeito de celebrar o Dia dos Pais, comemorado neste domingo, foi em frente à churrasqueira, assando carne e jogando conversa fora, em dois idiomas, com as crianças.

❤ Muchos mimos y mucho amor para recuperarme rápido ❤

Uma publicação compartilhada por Filipe Luís Kasmirski (@filipeluis) em

Como é a rotina com os três filhos durante a temporada do futebol na Europa?

Como tenho bastante tempo em casa, só treino de manhã, levo para o colégio e às 17h eu busco. Eles querem ficar um pouco lá ou então vem pra casa. Tento ficar brincando com os dois mais velhos. Aí vem a hora do banho, dou no Tiago e na Sara juntos e depois no bebê. Aí eles jantam, a minha mulher se encarrega desse assunto (risos), aí mais tarde levo eles para a cama. Nessas horas é muita intensidade e muita brincadeira.

Dois nasceram na mesma cidade e a Sara na Inglaterra, por conta dos time que você jogava. Quais das três gestações deu mais trabalho para acompanhar?

Lucas e Tiago nasceram em Madri e a Sara em Londres. O Tiago a gente acompanhou bem a gravidez toda, foi bem fácil de levar. No caso da Sara, teve a mudança no meio da gestação, a gente foi pra Londres, e a mudança estressa muito, estressou a minha mulher e por um momento a bebê deixou de ganhar peso, mas deu tudo certo. A Sara nasceu com pouco peso, ficou cinco dias na UTI, na incubadora, mas graças a Deus deu tudo certo. A mais complicada foi mesmo a da Sara, porque era em um outro país, tudo diferente, doutores que só falavam em inglês, então tive que me esforçar bastante pra conseguir acompanhar.

El secreto para acortar plazos. 🙌🏻❤

Uma publicação compartilhada por Filipe Luís Kasmirski (@filipeluis) em

Qual teu lugar favorito para ficar com os filhos?

O meu lugar favorito é aqui em casa. Tem a parte da churrasqueira, um campinho de futebol lá fora que tem bastante jardim. Enquanto eu estou fazendo carne eles sentam ali e comem alguma coisa. Aí depois a gente vai no campo e brinca, vou plantar alguma coisa com a Sara, jogar bola com o Tiago. O bebê ainda é pequeno, mas acompanha com a gente.

Que ensinamento eles trouxeram para a tua vida?

O maior ensinamento que um filho traz para um pai é no momento em que você só pensa em si, faz tudo por você para melhorar a qualidade de vida, mas a partir do momento que um filho nasce isso muda. Você já não é mais prioridade, nem mesmo da sua vida. Demonstra que todo ser humano é egoísta, a gente só pensa na gente, mas quando um filho nasce a gente muda completamente e a prioridade total é deles. Era uma coisa que eu não esperava que eu fosse mudar desse jeito, o meu conforto, as minhas horas de descanso, as horas que eu poderia dormir, de abrir mão pela alegria do seu filho. Esse foi o meu maior ensinamento, você para de viver a sua vida para viver a vida e a felicidade deles. Isso ficou bem marcado pra mim.

O Lucas ainda não, mas a Sara e o Tiago já entendem quem é o pai deles, o que ele faz e o que representa para muita gente?

Elas cresceram assim, né? Desde cedo foram no estádio, acompanhando jogos, estão acostumados com as fotos que as pessoas vêm tirar. O Tiago já começou a falar “papai, você é famoso, todo mundo pede foto contigo”, e ele quer sair nas fotos também. É importante que eles vivam nesse ambiente do futebol porque é sadio, tem muitos amigos e eles podem aprender os valores do esporte. Também do clube (Atlético), que passa valores importantes.

Uma publicação compartilhada por Filipe Luís Kasmirski (@filipeluis) em

Tem alguma coisa que o teu pai (Moisés) fazia com você quando criança que repetes com os três?

O que eu tento repetir é o churrasco, né? Tentei até imitar um pouco a churrasqueira que o meu pai tinha em casa e unia muito a nossa família, é um lazer. O Tiago é muito parecido comigo, gosta de baralho, dominó, isso eu sigo fazendo o que meu pai fazia. Outra coisa que tento repetir é ir na missa todo domingo. O meu pai sempre me levava e me sinto muito gratificado de fazer a mesma coisa com eles.

Curte os comentários que as pessoas fazem nas postagens que você e sua mulher publicam com as crianças no Instagram, que fazem sucesso na internet?

Nunca fui a favor de expor os nossos filhos, mas como temos muitos amigos que moram longe e só seguem mesmo nossa família nas redes sociais, é uma forma de aproximar todo mundo deles. Eu sei que acaba expondo um pouco a vida deles, mas por outro lado conseguem ver que somos pessoas normais, que temos problemas em casa na hora de educar filhos, de lidar em momento de briga e de choro das crianças, que somos iguais a todo mundo. É legal colocar os vídeos e as fotos no Instagram de momentos especiais das nossas vidas e que as pessoas se sintam identificadas com isso, porque é uma forma de unir um fã com um ídolo. Acabo mostrando como é a vida de um pai com tantos filhos e curto muito os comentários que fazem a respeito. Como falei, somos pessoas normais e não um tipo de Deus somente por jogar futebol.

Mis chulapos guapos III ❤

Uma publicação compartilhada por PaTi (@patricia_buno) em

Qual é a língua oficial da casa de vocês, já que o pai é brasileiro e a mãe é espanhola?

Eu falo em português com os meus filhos e a minha mulher fala em espanhol. Como moram na Espanha, vão para a escola e tudo mais, falam espanhol. Como eu sempre só falo português, eles entendem tudo. Só o Tiago que começou, agora quando fomos ao Brasil, a falar em português e se soltar bastante. A minha filha ainda não se arrisca, ela entende absolutamente tudo, mas quando falo em português ela me responde em espanhol. Não é fácil você falar todos os dias em um idioma e eles te responderem em outro, mas eu sei que vai ser bom para o futuro deles, estou sendo bem constante nesse ponto, porque sei que eles vão me agradecer.

Como é poder trazer eles para Jaraguá e mostrar um pouco de como iniciou a vida do pai?

Agora que eles estão começando a entender um pouco de onde o pai deles nasceu, que é brasileiro. Eu levo e tento mostrar um pouco da cidade, mas a gente vai numa época muito ruim que é o inverno, e daí chove e a maioria dos amigos e parentes trabalha. Mas eles já vão entendendo bem, já gostam de ir ao Brasil, perguntam pelos parentes, pelos avós, pelos tios, então já se sentem identificados com o Brasil e vão conhecendo melhor Jaraguá do Sul. É importante que eles saibam e apreciem a nossa cidade.