O que fazer com a birra das crianças para dormir? Médica dá dicas

crianças
Foto: Pexels

Assim como a resistência que alguns pais enfrentam na hora do banho, a manha na hora de dormir também é bastante comum em crianças, especialmente, entre os nove meses e quatro anos de idade. Para acabar com as cenas de ranço, a dica valiosa é criar um ritual do sono, com direito a luz baixa e banho morno.

— A birra vai acontecer. Imagina: tem pais que passam o dia fora trabalhando, como a criança vai querer dormir assim que eles chegam? — ilustra a médica pediatra Mariane Franco, presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Contornar a situação, contudo, é uma questão de disciplina, que deve ser imposta pelos pais desde cedo. Cabe a eles conversarem e explicarem aos pequenos que aquele momento deve ser respeitado seguindo algumas regras: sem televisão, jogos, tablets e celulares. Esses aparelhos, bem como qualquer outro estímulo, devem ser evitados após as 18h.

— O desespero dos pais é a criança ficar acordada até tarde e eles acabarem entrando no ritmo dela — completa a médica.

 Segundo a especialista, além da disciplina, um banho morno, com produtos próprios para a hora de dormir, também estimulam o relaxamento dos pequenos. Tom de voz baixo e menos iluminação também são fundamentais.

Por outro lado, um estudo feito pela Flinders University, na Austrália, sugere que os pais só levem os pequenos para dormir quando eles estiverem exaustos. Chamada de bedtime fading, a técnica foi testada em 21 crianças e mostrou uma melhora tanto no tempo que elas levavam para pegar no sono quanto na qualidade desse sono, o que diminuía as horas acordado ao longo da noite.

Apesar dos bons resultados, Mariane defende que esse método seja evitado:

— Não dá para esperar a criança ficar no último grau da exaustão. Assim, se cria o hábito dela, enquanto o ideal é o hábito ser criado pelos pais. Ela precisa entender que aquela hora que eles estipulam é o momento de dormir — finalizou.

Leia mais: