Diversidade para atrair leitores: Começa a 3ª Feira do Livro de Balneário Camboriú

Evento começa nesta segunda-feira e vai até o dia 7 com entrada franca e atrações como Fernanda Young, Mario Prata, Luís Henrique Pellanda e Reinaldo Moraes

fernanda young
Fernanda Young é uma das convidadas (Foto: Bob Wolfenson/Divulgação)

CARLOS HENRIQUE SCHROEDER/ESPECIAL

A Feira do Livro de Balneário Camboriú está de volta. Depois das edições de 2015 e 2016, e o hiato de 2017 por falta de recursos, o principal evento literário do Litoral Norte catarinense traz uma maratona de palestras, guias de leitura e debates na Praça Higino Pio, no centro da cidade. A feira também celebra os 50 anos da Biblioteca Pública Machado de Assis, com uma programação paralela mo local.

— Teremos uma grande diversidade de gêneros e temáticas, e preços especiais para democratizar o acesso ao livro e à leitura. Um dos estandes, inclusive, venderá três livros (novos e de diversas editoras) ao preço final de R$ 10. Mas a diversidade de temáticas da programação é nosso grande diferencial — afirma Miriam de Almeida, coordenadora do evento, que divide seu tempo entre as letras (sua paixão) com a construção civil (é sócia de uma das maiores construtoras da região).

Um dos principais eixos do evento é a formação de leitores, e o guia de leitura Gelson Bini vai mediar 10 conversas com centenas de alunos de escolas públicas, apresentando livros clássicos e temas contemporâneos. Assuntos instigantes, comandados por nomes como Fernanda Young, Mario Prata, Luís Henrique Pellanda e Reinaldo Moraes, vão aquecer os debates. Um dos grandes contistas e cronistas brasileiros, o curitibano Pellanda participará de um bate-papo sobre os dois gêneros, no sábado, às 18h:

— Quais as diferenças entre eles? No que coincidem? É o que sempre me perguntam. Em primeiro lugar, digo que não faço distinção hierárquica entre os dois. Nenhum é maior ou menor que o outro, nisso se igualam. A crônica é produzida para o dia seguinte, escrita quase de improviso, no calor do fechamento, não tolera gavetas. Espécie ainda nova, seu habitat de origem é o jornal. Gosto de imaginá-la como um prato que se serve ainda quente — diz o convidado.

Ele completa:

— O conto é antigo, nasceu em volta das fogueiras. Topa revisões, é forte de paciência, ganha com a maturação, convive bem com o frio. Ambos, no entanto, quando bem realizados, por serem formas curtas, contam com a mesma concentração de força, o mesmo poder de fixação, no tempo e na memória do leitor.

Autores catarinenses têm espaço

A Feira do Livro de Balneário Camboriú também dá voz para autores e autoras da cidade e região. Isadora Krieger nasceu em Balneário Camboriú, mas morou muitos anos em São Paulo e está de volta à SC, e com livro novo.

— É uma alegria enorme ser uma das escritoras convidadas. Será certamente uma noite significativa para mim, para conversar sobre literatura, os temas que me impulsionam a escrever e os meus livros. E logo depois, lançar o meu livro Explorações cardiomitológicas, que foi escrito em grande parte em SC. Esta participação foi uma das coisas mais bonitas que me aconteceu desde que voltei a morar aqui — afirma a autora.

A volta da feira só foi possível graças ao envolvimento da empresária Miriam de Almeida e também do edital de apoio a eventos da Fundação Cultural de Balneário Camboriú.
A programação da Praça Higino Pio vai de segunda a sexta, das 10h às 22h, no sábado, das 13h às 23h, e, domingo das 14h às 20h.

A entrada é franca, mas para a visitação de escolas e grupos é preciso agendar pelo atendimento@feiradolivro.org. A programação completa do evento está no site.

Destaques da programação

3 de outubro, quarta-feira

19h30min – Meus textos, minhas mídias, com Mario Prata

Foto: Divulgação

Uma conversa sobre escrever para teatro, televisão, cinema e literatura, com um dos mais versáteis escritores brasileiros. Autor de novelas que marcaram época na televisão brasileira, como Estúpido Cupido (1976) e Bang Bang (2005), e de sucessos de crítica e público no teatro, como Fábrica de Chocolate (1979) e Besame Mucho (1982), Prata também foi um frequentador habitual da lista dos autores mais vendidos da literatura brasileira contemporânea, com títulos como Schifaizfavoire – Dicionário de Português (1994), Diário de um Magro (1997), Minhas Mulheres e Meus Homens (1998) e Purgatório (2007).

Público recomendado: acima de 14 anos.

4 de outubro, quinta-feira

19h30min – Esferas, mitos e corações, com Isadora Krieger

Um bate-papo sobre escrita, mitologia e ocultismo com a poeta e prosadora Isadora Krieger, um dos grandes talentos da nova geração de escritoras catarinenses. Publicou o livro O wi-fi da igreja é muito fraco, o romance Memória da Bananeira e o livro de poemas O Gosto da Cabeça. Realizou oficinas de escrita em São Paulo, São Carlos, Belo Horizonte e Balneário Camboriú. Público recomendado: acima de 14 anos.

5 de outubro, sexta-feira

19h30min – Sesc Arte da Palavra – Circuito de Autores apresenta: “O comportamento humano em sua dimensão do sagrado e do profano”, com Reinaldo Moraes e Ivens Scaff

Uma conversa informal sobre as epifanias na vida e na criação literária. Moraes estreou na literatura em 1981 com o clássico instantâneo Tanto Faz, e publicou os romances Abacaxi e Pornopopéia. É também tradutor e roteirista de cinema e TV. Scaff é poeta, autor teatral, escritor infanto-juvenil, professor e médico. Publicou Uma maneira simples de voarO menino órfão e o menino rei e Asas de Ícaro: Versos de enamoramento e seus antônimos. Público recomendado: acima de 14 anos.

6 de outubro, sábado

16h – Bate-papo “Para além do masculino e do feminino”, com Fernanda Young

Um debate franco com Fernanda Young, sobre seu último livro, Pós-F.: Para além do masculino e do feminino, e também sobre sua escrita para outras áreas, como televisão e teatro. Escritora, atriz, roteirista e apresentadora de televisão brasileira, Fernanda Young é conhecida por não ter papas na língua e pela ferrenha defesa aos direitos das mulheres. Com mais de 20 anos de carreira, ela é autora dos livros EstragosO PauA Louca Debaixo do BrancoO Efeito Urano e Dores do Amor Romântico, entre outros. Apresentou entre 2006 e 2010 o programa Irritando Fernanda Young e foi roteirista das séries A comédia da vida privada, Os Normais,  Os Aspones, Surtadas na Yoga, Vade Retro Edifício Paraíso (exibido na GNT em 2017). Público recomendado: acima de 14 anos.

18h – Bate-papo “O movimento pendular: entre a crônica e o conto”, com Luís Henrique Pellanda

O conto e a crônica: água e azeite ou água e vinho? De que maneira dialogam esses dois gêneros no espaço literário. Natural de Curitiba (PR), Pellanda é autor dos livros O macaco ornamental (conto) , Nós passaremos em branco (crônica),  Asa de sereia (crônica) e A fada sem cabeça (conto). Organizador dos dois volumes da antologia As melhores entrevistas do Rascunho, foi editor do site de crônicas Vida Breve. Trabalhou nos jornais Gazeta do Povo e Primeira Hora e, na área literária, atua como jornalista, entrevistador, curador, mediador, resenhista e cronista em diversos eventos e veículos de todo o Brasil. Foi finalista do Prêmio Jabuti 2012 na Categoria Contos e Crônicas com o livro Nós Passaremos em Branco. Público recomendado: acima de 12 anos.

Leia também:

“Apenas 5% das capas tiveram mulheres negras”, afirma autora de livro sobre revistas femininas