Dona Ivone Lara morre aos 97 anos, no Rio de Janeiro

Ivone
Foto: Guto Rocha
O samba perdeu, na noite desta segunda-feira (16), uma de suas mais importantes vozes. Morreu, aos 97 anos, Dona Ivone Lara. Com grande parte da vida ligada ao Império Serrano, foi a primeira mulher a fazer parte do grupo de compositores de uma escola no país.
Segundo a empresária da sambista, a causa da morte foi insuficiência cardiorrespiratória. Ela estava internada no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da Coordenação de Emergência Regional (CER), no Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro, desde da última sexta-feira (13). Ela já tinha um quadro grave e precisava receber constantes transfusões de sangue para tratar de uma anemia.

A trajetória de dona Ivone Lara

Ivone

Em sua trajetória, Dona Ivone Lara (nascida Yvonne Lara da Costa) foi criada em uma casa de família ligada ao samba. Começou sua trajetória na escola Prazer da Serrinha e, com a fundação do Império Serrano, passou a desfilar pela nova cor. Na escola, entrou para o grupo de compositores, um fato inédito no Brasil.

Suas músicas foram gravadas por vários ícones da música brasileira, dentre eles, Clara Nunes, Roberto Ribeiro, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paula Toller, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Mariene de Castro, Roberta Sá, Marisa Monte e Dorina.

Entre seus maiores sucessos estão Sonho Meu, música que estourou nas paradas de sucesso com Maria Bethânia e Gal Costa, Acreditar e Alguém Me Avisou.