Em Florianópolis, bloco de Carnaval promove inclusão de pessoas com deficiência

ACIC
A ACIC também promove este ano o 1º Carnaval Interno ACIC. Foto: Divulgação

“Folia Inclusiva: Lazer, Inclusão e Acessibilidade” é o tema do bloco carnavalesco Esquadrão Bengala que irá reunir, pela primeira vez, pessoas com deficiência física, auditiva, visual e outros, em frente ao quiosque do trapiche na sexta-feira, 1º de março, das 14h às 20h. A participação no bloco é gratuita e aberta a todas as pessoas com deficiência. O evento contará com as atrações musicais João de Paula e banda, MC Cacau, Jackson DJ.

Leia também: Pela primeira vez, Carnaval de Florianópolis terá ala de passistas plus size

O objetivo é dar visibilidade, integrar e socializar de forma descontraída, promovendo a alegria e a autoestima das pessoas com deficiência, além de reunir vivências semelhantes em uma festa onde todos são bem-vindos. O bloco Esquadrão Bengala tem apoio da Associação Catarinense para Integração do Cego (ACIC), Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos do Estado de Santa Catarina (AFLODEF), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Associação de Surdos da Grande Florianópolis (ASGF), Associação de Amigos do Autista (AMA) e Quiosque Beira-Mar Floripa.

Os interessados em desfilar no bloco inclusivo devem entrar em contato com Claudionor Rosa pelo telefone (48) 99146 7281.

Acessibilidade no Carnaval

E falando em Carnaval e inclusão, não podemos deixar de falra da questão da acessibilidade que ainda é um grande problema para pessoas com deficiência, isso em todas as cidades do país. No site da APAE Brasil é possível acessar uma lista de dicas para que pessoas com deficiência física possam curtir o carnaval com mais tranquilidade. Confira:

PLANEJE O CAMINHO DA FOLIA
Antes de qualquer coisa, é imprescindível analisar o trajeto pelo qual a festa vai acontecer ou que seu bloco vai passar. Dificilmente o caminho será totalmente acessível, pode ser que terrenos irregulares possam fazer parte do percurso e por isso é importante estar ciente para não ser pego de surpresa.

Hoje em dia, com aplicativos para localização, é possível conferir o trajeto direto de casa. Pesquise na internet por onde seu bloco vai passar e se terá como acompanhá-lo durante toda via. Caso não seja viável, é só marcar os pontos dos quais será fácil de acompanhá-lo e os outros que o usuário da cadeira de rodas terá que parar e/ou encontrar outra forma de segui-lo.

Para consultar o caminho, você pode acessar o recurso do Google Maps, que disponibiliza vistas panorâmicas de 360º na horizontal e 290º na vertical, para que as pessoas possam visualizar as condições da região ao nível do chão.

APERTOU, E AGORA?
E falando em parar, não esqueça que na maioria das vezes esses trajetos são longos. Não deixe de fazer paradas para descanso e repor as energias. Além de ir ao banheiro!

Mesmo que sejam disponibilizados vários banheiros químicos, eles nunca são o suficiente para eventos grandes. Encontrar os acessíveis, é mais difícil ainda, e quando o são, podem estar sujos. Por isso, é interessante consultar os restaurantes e estabelecimentos que estão localizados no caminho e que estarão abertos, assim, é só escolher alguns como pontos estratégicos para realizar as paradas de necessidades.

OLHA A ÁGUA MINERAL!
Fevereiro é um mês quente de verão. Já pensou estar na multidão ou na rodinha de amigos com o sol alto do dia? É calor e sede na certa! Por isso, não deixe de se hidratar no caminho. Levar uma garrafinha de água faz toda a diferença.

Além disso, é importante se preparar um dia antes, mantendo-se hidratado e disposto para o dia da folia. Afinal, ingerir uma grande quantidade de líquido faz você ir até o banheiro mais vezes, e no meio do caminho será mais complicado parar para realizar as necessidades sendo usuário de cadeira de rodas.

E não esqueça: se ingerir bebidas alcoólicas, não dirija. Uma dica para não exagerar é sempre intercalar o consumo com água, afinal, não é nada legal passar mal e terminar com a festa cedo demais.

CUIDADO COM OS DESCUIDADOS
É comum encontrar uma grande parcela de pessoas em um mesmo local no carnaval e, na maioria das vezes, isso se transforma em uma multidão. Aperto, passos devagar e possíveis batidas. Pois é, há os descuidados que, por conta da animação, podem não enxergar a cadeira de rodas e acabar esbarrando-a.

Não deixe que isso aborreça o passeio. Provavelmente isso pode acontecer sem querer, afinal, algumas pessoas acabam se animando demais e esquecendo do resto a sua volta. Por isso, esteja atento quando ver que isso pode acontecer, peça licença e siga em frente. Se você preferir, pode chamar atenção com uma buzininha.

COM OS AMIGOS, É MUITO MELHOR
Há quem goste de se divertir sozinho. Mas quando se tem amigos por perto, é bem melhor. Principalmente para quem utiliza cadeira de rodas, que por uma vez ou outra, pode precisar de ajuda para transpor um obstáculo, por exemplo.

Por isso, opte por estar acompanhado. Nunca se sabe quando uma ajudinha será preciso.

NÃO ESQUEÇA DA FANTASIA
A parte mais divertida ao se preparar para o Carnaval é a escolha da roupa. Estar em uma cadeira de rodas não é motivo para não se fantasiar, aliás, enfeitar o equipamento também é uma forma divertida de deixar o look muito mais descontraído e bonito.

Por isso, abuse das cores, do glitter e da criatividade!

DEPOIS DA FOLIA, VEM A CALMARIA
Para curtir o carnaval é preciso ter pique. São vários dias de festa e é preciso ter em mente que uma pessoa em cadeira de rodas irá aproveitá-los o tempo inteiro sentado, e isso pode causar muito mais cansaço e dores musculares.

É importante não exagerar e não ultrapassar os limites do corpo. Quando a festa acabar, é preciso tirar um dia para descansar e cuidar da saúde física. Relaxe os músculos e, se possível, peça ajuda para massagens e alongamento das partes do corpo.

ÚLTIMO E NÃO MENOS IMPORTANTE: APROVEITE COM MODERAÇÃO
Sabemos que a época do carnaval é conhecida pela intensa descontração das pessoas. Todos gostam de dançar, pular, rir e se divertir. As vezes, pode ser que a animação ultrapasse limites e alguns prejuízos aconteçam. E isso serve tanto para pessoas que usam cadeira de rodas, ou não. A saúde e a segurança devem estar em primeiro lugar.

O IMPORTANTE É ESTAR BEM COM SUA ESCOLHA
Não importa a data. Se é carnaval ou não. O importante é estar contente com suas decisões e estar preparado para aproveitar a vida da melhor forma possível.

O lazer é fundamental para saúde física e mental da pessoa com deficiência. Além de proporcionar prazer e satisfação pessoal, é uma ótima oportunidade para o desenvolvimento humano. Com alguns cuidados e precauções previstos antecipadamente, é possível evitar contratempos e sair da rotina, experimentando sensações novas com o máximo de acessibilidade possível.

Leia também:

Conheça a cafeteria de Santa Catarina em que todos os funcionários têm a Síndrome de Down

Jovem de São João Batista desenvolve matriz de bordado em braile