“Eu sempre tive uma queda pelo Sul”, diz Adriane Galisteu em visita a Santa Catarina

Amante da praia e do lifestyle do litoral, Galisteu tem uma nova paixão em SC: a cuca de Brusque

Adriane Galisteu
Foto: Thiago Bellini/Divulgação

Por André Groh/Especial

Loira ou morena, de qualquer modo, Adriane Galisteu se reinventa e mostra que há sempre uma nova melhor versão dela. A apresentadora, que viveu um período longe da TV aberta, retornou há pouco com novos planos. Agora, vive a personagem Zelda, na novela O Tempo Não Para, transmitida pela NSC TV.

A mil com as gravações, deu uma pausa no último sábado, 15, e esteve em Brusque para registrar a campanha do River Mall, shopping de serviços e produtos que inaugura em 3 de outubro. Na cidade, foi recebida pela família Jativa, proprietária do empreendimento.

Ao final das gravações, acompanhei a viagem até o Aeroporto de Navegantes. No caminho, Galisteu pediu uma indicação de padaria para comprar uma cuca. Queria levar para São Paulo de presente para a mãe, Emma Kelemen, um doce local, tradicional de Brusque, que experimentou no café da tarde durante o trabalho e ficou apaixonada. Vinho e banana foram as escolhas de sabor. E depois de um sábado chuvoso, um arco-íris se despedia da atriz na rodovia Antonio Heil, e a apresentadora ficou louca pra voltar.

— Eu acredito em pote de ouro — disse.

Confira a entrevista:

O que achou de Brusque?

Gente, você está tendo muita sorte nessa hora de fazer essa pergunta. Eu estou tão encantada que já quero ficar aqui. Há quanto tempo não vejo um arco-íris assim tão completo desse jeito. Ao mesmo tempo que tem tudo, tem uma pegada que não é de interior, é no sentido de se sentir em casa, e parar em qualquer uma dessas casinhas na beira da rua e ter certeza que terá um café com bolo.

Paulista, quando chega no Sul…

Eu tenho uma paixão pelo Sul. Durante minha adolescência fui muito para Florianópolis, praia da Guarda (do Embaú), praia do Sonho, e eu gosto muito.

Em que momento você foi para a Grande Florianópolis? Era quando modelava?

Sim, eu alugava umas casas de pescadores. Na época não era Guarda do Zulu, era Guarda do Embaú (rs). Com todo respeito ao (Paulo) Zulu que eu adoro, é meu amigo querido. Mas eu sempre tive uma queda pelo Sul.

 

Pretende retornar?

Vou o mais rápido possível. Quero trazer meu filho (Vittorio), levar ao Beto Carrero. E comer mais cucas.

Não é sua primeira vez na região, né?

É, estive em Balneário Camboriú. Lá não tem nem o que falar. Adorei, fiquei apaixonada. Quem gosta de praia, está em casa.

Além de tantas mídias, você ainda se antenou ao YouTube e lançou um canal. Como é isso?

Faz 1 ano, acho que é uma tentativa a mais de comunicação com as pessoas.

E é pra não perder o palco?

Não deixa de ser. Antigamente o artista só tinha um jeito de se comunicar, falando nas mídias e esperando serem publicadas. E ainda tinha aquela briga porque na maioria das vezes o repórter mudava um pouco o que a gente falava. Hoje acabou isso, não tem mais essa conversa de mudar. Todo mundo se comunica e tem uma rede social.

Qual sua favorita?

Instagram, minha paixão. YouTube, minha paixão. É um jeito que eu mesmo cuido, eu mesmo falo. Ali é minha alma. Eu brinco porque o feed do meu Instagram é uma loucura. Tem minha vida pessoal, meu trabalho… Não é um feed direcionado. É um feed de verdade, com meus momentos bons, meus momentos não tão bons… Está tudo lá, porque eu adoro acompanhar como está minha vida.

A última pauta no YouTube foi sobre sexo no primeiro encontro. Qual impacto você busca causar nas pessoas?

Primeiro que é legal as pessoas me verem falando de um assunto que não vão me ver falando em outro lugar. Só vão me ver falando desses assuntos no meu canal, apesar de eu ser uma mulher que não tem papas na língua, não tenho tabus e não tenho preconceito com nenhum tipo de assunto.

É um empoderamento seu?

É bem meu, eu escolhi o canal ser sem filtro para poder ser bem eu. O canal é um reflexo daquele momento em que estou.

Seu empoderamento sempre foi um aliado desde as épocas de passarela?

Sempre me agarrei nas minhas verdades, mas não que eu nunca mude de ideia. Eu sou uma mulher que muda de ideia super, e adoro isso. Mas sempre me agarrei nas minhas verdades. Por isso talvez nunca me abalei muito com opinião alheia. Principalmente quando é uma opinião ruim.

Isso acontece?

Acontece, principalmente no Instagram, que todo mundo virou crítico. As pessoas se sentem muito no direito de falar muito o que elas acham ou deixaram de achar. Mesmo que você não pergunte. É uma característica do pessoal da internet, mas é bom, porque a gente acompanha.

Você responde essas pessoas?

As vezes eu brigo, de vez em quando me pega de veneta. Mas é muito raro. Eu só bloqueio quando falam do Vittorio (filho). Você sabe, que mãe, quando falam do filho, vira leão.

Como é a maternidade para você?

A alegria da minha vida. Disparado a melhor coisa que me aconteceu. Lamento não ter começado antes, queria ter um monte de filhos. Não tenho tempo para ficar grávida de novo, agora com a novela ainda no meio do caminho. Eu estava começando a admitir um tratamento, mas parei por causa da novela. Mas depois que acabar as gravações, vou tentar mais uma vez.

Conta um pouco da Zelda. Na última semana ela deu uma rasteira na Marocas e mostrou para que veio.

A Zelda vai aprontar muito ainda, aguardem.

Ela começou a mostrar seu rostinho agora?

Pois é, ainda tenho muita dúvida, sabia? Porque como a novela é uma obra viva, a gente vai moldando a história e a personagem junto com o autor e os diretores. Me perguntam: mas a Zelda é mau-caráter? Eu acho que a Zelda é da situação. Não é nem questão de ser mau-caráter. É que ela não tem opção nesse momento. A opção que ela tem é de fazer um péssimo negócio, com péssimas pessoas.

No fim, elas podem se acertar?

Só a cabeça do autor para responder. Mas eu acredito.

O que esperar da Zelda até o fim da novela?

Não precisa nem esperar muito, porque em até duas semanas ela já vai estar transformada. Você vai ver o que ela vai aprontar. Li agora os capítulos e fiquei chocada. Vocês vão adorar.

Depois de O Tempo Não Para, quais projetos estão por vir?

Ah, eu ainda estou bem nessa novela. O projeto acabou de começar e eu estou me dedicando integralmente a ele. Minha agenda diminuiu o ritmo demais. Tenho feito meu programa na Rádio Globo e priorizado 100% a novela. Quando sobra um tempo, eu faço todo o resto que é o que estou habituada a fazer. Meus eventos, as gravações, o meu canal… se encaixam nos intervalos do Projac. Então realmente não estou pensando num futuro muito distante não.

Como é o tratamento na Rede Globo em relação as outras emissoras que já trabalhou?

Cada emissora tem uma filosofia de trabalho, e estou muito honrada. Sempre foi um sonho. Todos os artistas que escolhem essa profissão, tem como meta a líder.

Sente falta do palco e de ter seu programa?

Claro que sei fazer e gosto, é minha gasolina apresentar, eu falo brincando. Mas estar trabalhando já me faz bem feliz. Eu sou uma mulher que gosta do trabalho de maneira geral.