Mudança de planos: tivemos três voos cancelados por consequência do Coronavírus

Foto: Arquivo Pessoal

Um dia antes do nosso cruzeiro que iria de Singapura a Dubai, passando pela Tailândia, recebemos um e-mail: “Seu cruzeiro não sairá de Singapura, mas de Dubai…”. Cancela o voo, cancela o hotel e vamos para Dubai! Que “problemão, né?”.

Lá fomos nós, voamos da Austrália por 13 horas até chegarmos na fantástica Dubai. Realmente impressiona! Tax free para investidores em imóveis, violência quase zero, luxo e conforto entre o deserto e a água.

Embarcamos no cruzeiro, que deveria ter 3 mil pessoas, mas só tinha 1 500, afinal todos estão assustados com as notícias do Coronavírus.

Mas qual é a dimensão do problema? Bom, em um primeiro momento, temos que entender que é um vírus novo, e que a primeira ação é conter para evitar que se espalhe. Por isso as tais quarentenas, restrições de voos a China e a outros países afetados, como Hong Kong.

Por ser um vírus novo e a ciência ainda estar estudando como aniquila-lo, ele mata “muito”. Mas espere, muito em termos, pois a tuberculose ainda é a doença infecto-contagiosa que mais mata no mundo, sem falar das doenças transmitidas por mosquitos como a febre amarela, dengue e malária.

Hoje o Coronavírus é perigoso, contagioso e ainda esta sendo estudado, por isso merece atenção. Mas em alguns meses teremos uma vacina e ele, com toda a certeza, não vai ameaçar o posto da tuberculose. Hein? Tuberculose? Isso existe ainda? Yep, mais do que você imagina.

Existe uma indignação global pela tal “propaganda” feita sobre Coronavírus, afinal temos Japão com as Olimpíadas na porta, dólar valorizando e empresas “China dependentes” vendo suas ações caírem. A distribuição de Iphones nos EUA, por exemplo, já caiu quase 15%, afinal, tudo é “Made in China”. Talvez com esta epidemia o povo entenda o porquê que Trump luta tanto contra o “roubo de tecnologia” da China, tudo sai de lá a preço de banana.

No último ano, passamos 222 noites em cruzeiros, e podemos afirmar que muito desta disseminação do vírus sai de práticas inadequadas dos próprios passageiros. Já vimos pessoas sem passar o famoso “álcool em gel” antes de ir ao buffet, onde todos tocam os utensílios para pegar os alimentos, espirram para tudo que é lado, não higienizam os aparelhos de musculação após o uso, tossem na mão e apertam os botões do elevador, e o pior, vimos pessoas pegando comida, chupando os dedos e indo tocar no próximo utensílio para se servir. Acho que deveriam fazer um teste de QI antes de aceitarem pessoas em um cruzeiro, pois não duvido que pessoas urinem na piscina.

Enfim, talvez por isso, tivemos nosso cruzeiro que sairia de Singapura para o Japão também cancelado e o outro que sairia do Japão ao Canadá, também cancelado. Então trocamos tudo por um que sai de Cape Town, na Africa do Sul, aos EUA, cruzando o Atlântico ao invés de cruzar o Pacífico. A Ásia está interditada por agora, e provavelmente estará nos próximos quatro meses, até desenvolverem uma vacina e muitos ficarem ricos com isso. Enquanto isso, seguimos navegando…

Salud, digo atchin!

Leia mais:

Que tal um cruzeiro da Austrália à Nova Zelândia para degustar vinhos brancos?

Visitamos Nashik, a “capital dos vinhos” indiana

10 coisas imperdíveis para fazer na Índia