#chegadeabuso: Alice Wegmann, Leticia Colin, Alinne Moraes e outras famosas se manifestam contra João de Deus

Fotos: Reprodução/Instagram

Famosas usaram suas redes sociais nesta quinta-feira, 12, para se manifestar contra João Teixeira de Faria, 76 anos, o João de Deus, investigado após denúncias de assédio e abuso sexual. Elas publicaram uma nota de repúdio ao médium com as hashtags #chegadeabuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas e
#xotapower.

A mensagem foi escrita pela escritora e roteirista Antonia Pellegrino e rapidamente viralizou, sendo repostada por atrizes como Alice Wegmann, Leticia Colin, Alinne Moraes, Mel Lisboa, Maria Casadevall, Zeze Polessa, Samara Felippo e Alessandra Negrini.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas #xotapower 📷 Daniel Marenco

Uma publicação compartilhada por Antonia Pellegrino (@pellegrino.antonia) em

Leia o texto na íntegra:

“A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês.”

Na semana passada, vieram a público denúncias de que o médium teria abusado sexualmente de frequentadoras do centro espírita a Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), onde realiza consultas e aconselhamentos espirituais, além das chamadas cirurgias espirituais há 42 anos. Ele nega as agressões.

A atriz Monica Iozzi também se posicionou, com um texto autoral. “Não consigo sequer imaginar a dimensão da dor de vocês. Mas saibam, tenham a certeza de que a coragem de vocês fortalece a protege a todas nós”, escreveu ela.

Leia também: 

Mulheres acusam médium João de Deus de abuso sexual durante “Conversa com Bial” 

Oprah apaga vídeo de entrevista com João de Deus após denúncias de abuso sexual