Festival de música homenageia catarinense Edino Krieger

Evento terá cinco dias de atividades totalmente gratuitas para a população

Edino Krieger
Foto: Divulgação

A segunda edição do Festival de Música Contemporânea Brasileira (MCB) Edino Krieger começa nesta quarta-feira, dia 26, com atividades gratuitas e abertas ao público. O evento, que segue até o próximo dia 30, vai trazer para o sul do Brasil uma mostra significativa da produção musical da atualidade, além de criar espaço para a divulgação de novos compositores, por meio do Concurso de Composições, celebra os 90 anos do brusquense Edino Krieger e faz homenagem especial ao compositor brasileiro Edmundo Villani-Côrtes.

As atividades acontecem em palcos diversos, em Brusque e Florianópolis. Terá atrações no Hospital Infantil Joana de Gusmão, onde os músicos levam alegria para os pacientes, passando pelo auditório do Departamento de Música da UDESC, visitando o Instituto Aldo Krieger, em Brusque, e culminando em dois teatros da Capital, o Álvaro de Carvalho (TAC) e o Ademir Rosa (CIC).

Leia também: Skank traz para Santa Catarina a turnê Os Três Primeiros

O II Festival de Música Contemporânea Brasileira Edino Krieger é viabilizado através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Florianópolis e é apresentado com o patrocínio cultural dos Supermercados Angeloni. Recebe também o patrocínio da Fundação Catarinense de Cultura, Lira Tênis Clube e Concessionária Santa Fé. Conta com a parceria da UDESC, TV UFSC, 30 # e Camerata Florianópolis. Realização da Prefeitura Municipal de Florianópolis e da Fundação Cultural Franklin Cascaes, com produção do Grupo Sintonize.

EDINO KRIEGER
Nascido na cidade de Brusque (SC), em 1928, Edino Krieger começou sua instrução em violino aos 7 anos. Entrou no Conservatório Brasileiro de Música e estudou por um ano na renomada escola de música Juilliard School of Music, de Nova Iorque, tornando-se um dos principais nomes da criação musical brasileira. Seu catálogo inclui cerca de 150 obras para orquestra sinfônica e de câmara, oratório, música de câmara, obras para coro e para vozes e instrumentos solistas, além de partituras incidentais para teatro e cinema. Sua vida é coroada por diversas conquistas, prêmios e homenagens. Foi presidente da Academia Brasileira de Música e recebeu, entre outros, o Prêmio Música Viva, o Prêmio Internacional da Paz, o primeiro lugar no Concurso Nacional de Composição do Ministério da Educação e foi agraciado com a Medalha de Honra do Cinquentenário do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e a Medalha Anita Garibaldi de Santa Catarina.