Gratuito: quatro cidades de SC recebem o 3º Festival Itinerante de Teatro

A Farsa do Advogado Pathelin, do Teatro Sim… Por que não?!!! é um clássico do teatro catarinense. Foto: Cleide Oliveira, Divulgação

Um dos mais prestigiados grupos de teatro de Santa Catarina começa hoje uma turnê por Santa Catarina. A cia Teatro Sim… Por que não?!!!, de Florianópolis, junto com outras companhias e artistas como Andrea Padilha e Tissier Produções apresentam algumas montagens imperdíveis da cena teatral catarinense.
Em cada cidade, durante três dias, serão apresentados os espetáculos A Farsa do Advogado Pathelin, Hipotermia, Eu – Lália, A Garota da Capa e Histórias de Mauro.

O festival apresenta diversas linguagens teatrais: comédia, drama, teatro de animação e clown. O projeto dá sequência às turnês Festival Itinerante de Repertório (2011), Pathelin de A a Z (2012 e 2013). 2º Festival Itinerante de Teatro (2015) e Circulação Teatro Sim – 30 Anos (2016).

As turnês funcionaram como pilotos para confirmar uma ideia que o Grupo acalenta há muito tempo, que é de atingir também cidades pequenas do interior com o máximo possível de produções teatrais, com a mesma qualidade e conteúdo do que é apresentado nas capitais e nos grandes centros.

Programe-se

Salto Veloso: 16 a 18 de fevereiro

No Centro de Eventos Antonio Ferronato

São Francisco do Sul: 9 a 11 de março

no Cine Teatro XV de Novembro

Imbituba: de 6 a 8 de abril

No Teatro Usina

Guabiruba: 20 a 22 de abril

No Salão Cristo Rei

Conheça os espetáculos

A Garota da Capa
(Andréa Padilha Produções)

Foto: Andrea Padilha Produções, Divulgação

O espetáculo estreou em agosto de 2011, em Florianópolis, com atuação de Andréa Padilha e direção do inglês John Mowat. A montagem teve como ponto de partida um argumento: fome. Mas, fome de quê? As cenas foram criadas através do processo de improvisação, retratando a fome de forma mais abrangente. Em função da pesquisa corporal que a atriz investiga há 23 anos, o diretor optou pela não utilização da fala, valorizando a ação. Com pitadas de palhaçaria, a atriz, reflete situações cotidianas, principalmente do universo feminino, provocando no público reflexão sobre temas como solidão, frustrações, amor…

Eu-Lália
(Andrea Padilha Produções)

É uma senhora romântica e divertida que durante a intervenção, interage com o público, convidando-o a fazer parte da apresentação. A peça aborda de forma ingênua e curiosa a fragilidade da idade, a discriminação, a paixão, a vaidade e a vontade de viver, contrapondo-se às limitações corporais.

A Farsa do Advogado Pathelin
(Teatro Sim… Por que não?!!!)

A peça é uma obra do gênero farsa, de autor desconhecido e escrita em torno de 1460. A discussão sobre ética que o texto propõe continua atual. Comédia da astúcia – enganador e enganado – parece celebrar sem reservas o trunfo do dolo, do embuste e da patifaria. Qualquer semelhança com a época em que vivemos seria uma mera coincidência? Trata-se de um clássico do teatro catarinense — estreou em maio de 1996.

Histórias de Mauro – Aicila quer amar
(Tissier Produções Artísticas)

Trata-se de um teatro de bonecos. Mauro é o nome do boneco cenário, do qual os diversos personagens da história vão surgindo. No total, são cinco tipos de manipulações diferentes. Mauro é ao mesmo tempo o narrador e o espaço cênico onde as histórias acontecem. O boneco/cenário Mauro foi criado e apresentado entre 1990 e 1994 por Gabriel Santiago Tissier. Em 2010, após 19 anos de sua criação, Andrés Tissier, filho de Gabriel, retoma o trabalho.

 

Hipotermia
(NP Produções)

Foto: Sérgio Vignes, Divulgação

Hipotermia é um espetáculo solo interpretado pelo ator Nazareno Pereira, que se lançou a este desafio em comemoração aos seus 30 anos de palco. A peça coloca em cena um homem com seus conflitos, reflexões e lembranças diante do desalento da morte.

Leia também

Um carnaval acampado e alternativo: como foi o Psicodália 2018

Sandro Clemes: como a ciência e a cultura constroem nossa