Cinema: confira os filmes do Festival Varilux que seguem em cartaz

Até o dia 20 de junho, sócios do Clube NSC e acompanhantes têm 50% de desconto para assistir os longas da mostra francesa na Capital

cinema
Foto: Cena de "O Poder de Diane", Foto: Festival Varilux

Com mais de 20 longas-metragens sobre temas como história, cultura, política, comportamento, gastronomia e até zumbis, a edição 2018 do Festival Varilux de Cinema Francês está passando por 88 cidades do Brasil, entre elas Florianópolis. Na Capital catarinense, o Cineshow, parceiro do Guia do Clube NSC que dá 50% de desconto no ingresso para sócios, exibe filmes da mostra francesa como Carnívoras, Primavera em Casablanca, Marvin entre outros, até quarta-feira, 20 de junho.

Saiba mais sobre os longas que ainda estão em cartaz – o Clube NSC esteve na cerimônia de abertura do Festival, no Rio de Janeiro, e conversou com atores e diretores de alguns deles – e programe-se!

O Poder de Diane
No filme, o grito de liberdade das mulheres foi representado pela veia do humor. Diane, personagem vivida por Clotilde Hesme – ganhadora do César (o Oscar do cinema francês) de Melhor Atriz Revelação em 2018 – dá vida a uma mulher solteira convicta, que gera o filho de um casal gay.
– É interessante que no filme se redefine um pouco a noção de homem e mulher. O roteiro brinca muito com a parte feminina do homem através do casal gay que quer ser pai, e com a parte masculina da mulher, representada pelo não envolvimento emocional entre a personagem e o bebê que espera – disse Clotilde Hesme, em entrevista ao Guia do Clube NSC.

A Raposa Má
Dos mesmos criadores de Ernest e Célestine, que concorreu ao Oscar, a animação – com desenhos feitos em aquarela –, mostra uma raposa tentando manter a fama de má, mas sem muito êxito.

Promessa ao Amanhecer
Adaptação do livro de Romain Gary, Promessa ao Amanhecer é um comovente relato sobre amor materno. De sua infância difícil na Polônia, passando pela adolescência sob o sol de Nice, até suas proezas como aviador durante a Segunda Guerra Mundial, Romain Gary viveu uma vida extraordinária. Mas essa ânsia por viver mil vidas e se tornar um grande homem, ele deve a Nina, sua mãe.

Nos Vemos no Paraíso
Adaptação do romance de Pierre Lemaître, premiado pelo Prix Goncourt em 2013, o filme conta a história de Édouard Péricourt, que salva a vida de Albert Maillard. Ambos nada têm nada em comum, a não ser a guerra, e são obrigados a se unir para sobreviver.

Marvin
O longa, inspirado no livro Para Acabar com Eddy Bellegueule, mostra a infância e a transição da adolescência para a fase adulta de um menino que sonha ser ator. O personagem vive em uma aldeia no interior da França e é preterido pela família por ser tímido e afeminado.
– O filme não foca na orientação sexual do personagem, mas sim em como toda a família pode superar a homofobia e reconstruir laços de afeto – explicou Finnegan ao Guia.

Troca de Rainhas
No ano de 1721, uma ideia audaciosa germina na mente de Felipe de Orléans, regente da França. Luís XV, de 11 anos, logo se tornará rei, e, uma troca de princesas permitiria consolidar a paz com a Espanha, após anos de guerra, que deixaram os reinos enfraquecidos. Então, Felipe casa a filha, Mlle de Montpensier, de 12 anos, com o herdeiro do trono da Espanha, e Luís XV se casa com a Infanta da Espanha, Anna Maria Victoria, de 4 anos. Mas a entrada precipitada dessas jovens princesas na corte francesa, sacrificadas no altar dos jogos dos poderes, vai acabar com a tranquilidade.

O Retorno do Herói
Elisabeth é alinhada, séria e honesta. O capitão Neuville é covarde, desleal e sem escrúpulos. Ela o detesta. Ele a despreza. Mas fazendo dele um herói de opereta, ela se torna, sem querer, responsável por uma farsa.

Gauguin – Viagem ao Taiti
No ano de 1891, Gauguin se exila no Taiti. Ele quer reencontrar sua pintura livre, selvagem, longe dos códigos morais, políticos e estéticos da Europa civilizada. Ele se infiltra na selva, encarando a solidão, a pobreza, a doença. Lá, Gauguin conhece Tehura, que se tornará sua esposa e tema das suas telas mais importantes.

Carnívoras
Neste suspense fraterno, duas irmãs com a mesma profissão, mas com vidas e temperamentos diferentes, se veem em um embate. A primogênita é Sam, livre e sensual, e a mais nova é Mona (Leïla Bekhti), disciplinada e tímida; Sam tem marido, filho e é famosa, Mona é solteira e não decola em seu trabalho de atriz. A irmã mais velha se muda para a casa da mais nova, que, um dia, pressionada por sua vida, some. Mona tenta substituí-la e o embate ganha forma.
– Sam teve sorte e Mona fez tudo certinho, mas não aconteceu para ela. Na verdade, é uma história de amor. Elas tentam amar uma a outra, mas tudo em volta envenena a relação – explicou Zita, em entrevista.

O Amante Duplo
Na mesma linha de rivalidade entre irmãos, O Amante Duplo acontece sob o ponto de vista de Chloé, vivida pela atriz Marine Vacth. Ela é uma jovem que se envolve com o seu psicoterapeuta, Paul. Logo descobre que ele escondia um irmão gêmeo, Louis, e passa a ter um caso com ele.

A Aparição
Jacques, grande repórter de um jornal francês, recebe um misterioso telefonema do Vaticano. Em um pequeno vilarejo no sudeste da França, uma jovem de 18 anos afirma ter visto a aparição da Virgem Maria. Os rumores logo se espalham, e o fenômeno toma tal dimensão que milhares de peregrinos vão se reunir no local das supostas aparições. Jacques, que não tem nada a ver com esse mundo, aceita fazer parte de uma comissão de investigação encarregada de esclarecer esses eventos.

A Excêntrica Família de Gaspard
Depois de ficar afastado durante anos, Gaspard, com 25 anos, se reencontra com a família após o anúncio do casamento do pai. Acompanhado de Laura, uma moça extravagante, que aceita fingir ser sua namorada durante o casamento, ele se sente pronto para pisar, novamente, no zoológico familiar. Mas entre um pai mulherengo, um irmão sensato demais e uma bela irmã, ele não tem consciência de que está prestes a viver os últimos dias de sua infância.

Custódia
Miriam e Antoine Besson se divorciaram, e Miriam está procurando a custódia exclusiva de seu filho Julien, para protegê-lo de um pai que ela afirma ser violento. Antoine defende seu caso como um pai desprezado e a juíza decide a favor da custódia compartilhada. Refém do crescente conflito entre seus pais, Julien é levado ao limite para evitar que o pior aconteça.

A Noite Devorou o Mundo
Ao se levantar de manhã num apartamento onde, de véspera, houve uma grande festa, Sam deve se render à evidência: ele está sozinho e mortos-vivos invadiram as ruas de Paris. Aterrorizado, ele vai ter que se proteger e se organizar para continuar a viver. Mas será que Sam é mesmo o único sobrevivente?

50 São os Novos 30
Velha demais para o marido, demitida do emprego, Marie-Francine deve voltar a morar na casa dos pais… aos 50 anos! Apesar de infantilizada por eles, é numa pequena lojinha de cigarros eletrônicos da qual vai tomar conta, que ela vai conhecer Miguel que está na mesma situação que ela.

Primavera em Casablanca
No longa Primavera em Casablanca, ambientado na maior do Marrocos, o diretor Nabil Ayouch narra cinco histórias que se passam durante a Primavera Árabe, um levante de jovens que derrubou ditaduras no Oriente Médio em 2010.
– Filmes como Primavera em Casablanca marcam um posicionamento político e por isso são tão importantes, explicou Nabil ao Guia do Clube.

O Último Suspiro
No dia em que um nevoeiro misterioso e mortal envolve Paris, sobreviventes se refugiam nos últimos andares e nos telhados dos prédios da capital. Sem eletricidade, comida ou água, uma pequena família tenta sobreviver a essa catástrofe…

A Busca do Chef Ducasse
O filme conta a trajetória de Alain Ducasse, o chef mais famoso no mundo. Com 23 restaurantes, 18 estrelas Michelin, ele não para de criar locais novos, construir escolas, ultrapassar as fronteiras da profissão rumo a novos horizontes, a uma gastronomia mais humanista, engajada e responsável.

Festival Varilux de Cinema Francês 2018
Até 20 de junho, no Cineshow do Beiramar Shopping – www.cineshow.com.br
Sócios do Clube NSC e acompanhante têm 50% de desconto na compra do ingresso para as sessões do Cineshow.

Leia mais:

O cinema como experiência coletiva jamais irá morrer, diz o crítico Celso Sabadin

Festival Varilux 2018: política, feminismo e homossexualidade em alta nos filmes franceses

Cate Blahett dá seu recado sobre igualdade de gênero no cinema