Festival Floripa Instrumental leva música para a praça do Ribeirão da Ilha

Festival reúne dezenas de músicos em três dias, entre eles Yamandu Costa, Pedro Martins, Arismar do Espírito Santo, Eduardo Neves, Critovão Bastos, Toicinho, Banda da Lapa

Pedro e Pipoquinha Duo
Pedro e Pipoquinha Duo (Foto: Divulgação)

O sobe e desce de músicos do palco, a cumplicidade entre eles, a sintonia com o público e a comunidade desse cenário que é o Ribeirão da Ilha fazem do Floripa Instrumental um dos mais queridos festivais do Brasil. Na edição 2018, talentos como Yamandu Costa, Arismar do Espírito Santo, Pedro Martins, Cristovão Bastos, Michael Pipoquinha, Alegre Correa, Toicinho, a centenária Banda da Lapa e Rogério Caetano ocupam a praça durante três dias – 16, 17 e 18 de novembro.

Abre a nona edição do festival o jovem duo Michael Pipoquinha (baixo) e Pedro Martins (guitarra), na sexta, dia 16, a partir das 21h. Na música, muitas vezes a química é rápida e intensa. É um pouco desse show que Pipoquinha e Pedrinho trazem para o Floripa Instrumental, tendo no repertório clássicos como Lamento Sertanejo, Disparada e Segredo, além de composições próprias.

Depois é a vez de Gandhi Martinez Quinteto – Gandhi Martinez (piano), Matheus Moresco (vibrafone), Sebastián Carvalho (sax), Guilherme Ledoux (bateria) e Juampi Carraza (contrabaixo), uma conversa entre o choro e o jazz, mas com boas pitadas de freco, samba e, claro, bossa. O quinteto lança, no final mês, seu CD BRasilComZZê. O duo – multinstrumentista Arismar do Espírto Santo e Alessandro “Bebe” Kramer (acordeon) – mostra seu talento e sua veia para a improvisação a partir das 23h.

No sábado, 17, às 21h, Rogério Caetano (violão sete cordas) convida Cristovão Bastos (piano) e Eduardo Neves (sax) para uma boa navegada pela música brasileira, com homenagens ao centenário de um dos grandes do choro, Dino7cordas. Prata da casa, o trio Toicinho, Alegre Correa e Guinha Ramires se apresenta às 22h, seguidos do trio de Cassio Moura.

No domingo, o Floripa Instrumental inicia mais cedo, às 15h, mostrando a tradição preservada: o boi de mamão do Ribeirão da Ilha. Logo depois é a vez da centenária Banda da Lapa fazer sua apresentação na praça. O encerramento, às 17, fica por conta do violonista Yamandu Costa, um dos embaixadores do Floripa Instrumental.

Leia também:

O feriadão chegou! Confira a programação de eventos com descontos em SC