Garopaba vai virar atelier no 2º Encontro de Pintura ao Ar Livre

Manohead ministrando aula na Praça 21 de Abril, principal cenário do evento (Foto: Saraiva/Divulgação)

O Centro Histórico de Garopaba, com seus ranchos de pescadores e prédios centenários, deve se transformar em um imenso atelier de pintura entre 3 e 7 de abril, aproveitando em sua plenitude as luzes do outono.

Cerca de 70 artistas plásticos estão inscritos no 2º Encontro de Pintura ao Ar Livre, mas a participação é aberta a todos, entusiastas, estudantes, artistas e curiosos. Interessados poderão também participar de uma outra locação, organizada pela comunidade local na Praia da Silveira.

Uma programação intensa dedicada aos inscritos terá masterclasses com o aquarelista Ari de Goes e com a pintura acrílica de Marcelo Romani. Um toque internacional especial será trazido pelo aquarelista João Cabral, especialmente convidado.

A iniciativa do Atelier ManoHead desta vez ganhou apoio integral da Associação do Centro Histórico e de inúmeras empresas locais e de fornecedores de material para artes plásticas Hahnemuhle, Derwent, Plein Air Brasil, Pincéis Condor e Paris Telas, além do apoio institucional da Setur da Prefeitura Municipal de Garopaba.

Os inscritos vão receber um kit que inclui um chapéu de palha de butiazeiro, trançado pela artesã D. Maria, típico da região, camiseta e identificação, além de lembranças dos apoiadores. Produtos para pintura serão sorteados durante a programação.

O evento começa na quarta-feira (3) com a abertura solene e será encerrado no domingo quando os artistas recolhem suas obras da exposição ao público, aberta na véspera, sábado. A programação completa já está na página o evento no Facebook.

Para Fabrício Garcia, o ManoHead, o sucesso nas inscrições e o engajamento da comunidade criam condições para a participação internacional de artistas do cone sul na terceira edição. “O 2º Encontro deve consolidar Garopaba no calendário nacional de plein air”, completa.

Leia também:

Única no Brasil, revista catarinense retrata a arte circense feminina

Universo feminino é tema de exposição na Fundação Cultural Badesc