Gene da magreza? Pessoas magras têm vantagem genética na hora de manter o peso

Descoberta pode ajudar obesos a perder os quilos a mais

Foto: Arte ZH

Todo mundo tem aquele amigo que come o que dá na telha e não engorda um grama, certo? Para desvendar os mistérios por trás dos “magros de ruim”, pesquisadores do Reino Unido compararam o DNA de 14 mil pessoas de diferentes perfis.

Desse total, 1,6 mil eram magros saudáveis (com índice de massa corporal inferior a 18), 2 mil obesos e 10,4 mil pessoas com peso normal. Aqueles considerados obesos carregavam um conjunto de genes relacionados ao excesso de peso. Em contrapartida, pessoas magras tinham menos desses genes e ainda apresentavam mudanças nas regiões genéticas associadas à magreza saudável.

— Esta pesquisa mostra, pela primeira vez, que pessoas saudáveis e magras geralmente são assim porque têm uma menor carga de genes que aumentam as chances de obesidade, e não porque são superiores, como algumas pessoas gostam de sugerir — disse, ao site da University of Cambridge, Sadaf Farooqi, líder do estudo.

— É fácil julgar e criticar as pessoas pelo seu peso, mas a ciência mostra que as coisas são mais complexas. Temos menos controle sobre nosso peso do que podemos pensar — completou.

Para o pesquisador, é fundamental identificar esses genes relacionados à magreza para que eles possam contribuir para a perda de peso daqueles que não os carregam.

Leia também: 

Dieta da saúde planetária: conheça o regime com menos carne e mais vegetais que beneficia o planeta

Três perguntas para se fazer antes de começar uma dieta

Dietas da moda: um problema para quem quer garantir uma vida saudável e feliz