Grazi Massafera fala sobre trabalho, maternidade e relação com Santa Catarina

Escolhida para substituir Sharon Stone em campanha de construtora catarinense, atriz fala sobre os novos desafios e o que espera de 2019

Grazi Massafera
Fotos: Rubens Angelotti/Divulgação

Ela é o que a gente pode chamar de unanimidade. Grazi Massafera é dona de uma beleza ímpar e de uma simplicidade espontânea capaz de agradar homens e mulheres. Não por acaso foi escolhida recentemente para ser a nova garota propaganda da FG Empreendimentos, uma das dez maiores construtoras do país localizada em Balneário Camboriú. Vai substituir ninguém menos que a diva Sharon Stone.

Revelada no Big Brother Brasil e hoje reconhecida como uma das grandes atrizes da nova geração, tendo sido indicada inclusive ao Emmy Internacional em 2016, Grazi foi escolhida por representar a beleza e a força da mulher brasileira. Há poucas semanas ela esteve em Santa Catarina para fazer as fotos e vídeos da campanha que marca os 15 anos da FG e falou especialmente à Versar sobre maternidade, estilo de vida e sua relação com o Estado.

Qual a sua relação com Santa Catarina e o que gosta de fazer aqui?

Eu adoro Santa Catarina. Puxo o saco mesmo! Acho um povo lindo, e não só de beleza física, mas um povo muito batalhador. A nossa colonização aqui no Sul teve toda essa importância e fez quem somos hoje. Eu sinto falta das pessoas, do jeito, da cultura, que tem muito a ver com o Paraná, meu estado.  Quando eu fui Miss Brasil fiquei muito amiga da Miss Santa Catarina na época, a Célia, e ela me convidou a vir conhecer a Oktoberfest, achei o máximo. Também já vim para Balneário Camboriú, Itajaí, Floripa, andei nas dunas, e sou muito amiga do Fábio Bartelt e da Carol Trentini, que moram na praia do Estaleiro, inclusive estou com vontade de ter uma casinha aqui também.

Como se sentiu ao ser escolhida por representar a feminilidade e o empoderamento da mulher brasileira – e substituir uma diva como Sharon Stone – na campanha da FG?

Pra mim foi uma honra, né! Primeiro porque admiro a Sharon Stone e segundo porque adoro ganhar campanha nova, ainda mais assim de uma empresa com tanta credibilidade, um produto com valor de mercado incrível, está sendo muito especial. Quando cheguei aqui já vi que estava tudo ficando lindo e isso já é 90% para o sucesso.

O que é uma mulher empoderada para você?

Eu estou com um pouco de preguiça dessa palavra sabia? Porque eu acho que a mulher sempre teve esse lugar, agora acho que ela tem mais autoestima, isso que está mudando, mas ela sempre foi corajosa e agora está podendo aflorar isso de uma maneira muito bonita. Criar minha filha nessa nova geração dá uma força maior.

O que mudou na sua vida depois da maternidade?

Mudou tudo! Quando eu tinha uns nove anos e brincava de casinha minhas amigas colocavam limão embaixo da blusa para ter seio, mas eu colocava barriga… Meu sonho sempre foi a maternidade e tudo o que eu conquistei antes foi para ter a maternidade com uma segurança maior. Minha mãe passou por várias situações e eu queria ter uma segurança financeira primeiro para depois ter filho e isso aconteceu, e veio também na idade que eu gostaria, eu fiz 30 anos e a Sofia nasceu. Tudo mudou depois, parece que virou uma chave, até a minha relação com a minha mãe mudou.

O que você aprendeu com sua mãe que agora tenta passar para sua filha?

Acho que a valorização das coisas simples. Também tem uma coisa que minha mãe sempre conquistou dos três filhos que foi o fato da gente nunca consegui mentir pra ela, a consciência ficava pesava só de pensar, e isso pra mim é um desafio. Não sei como ela fez isso e estou tentando pôr em prática, mas foi muito bonito na minha criação.

Quais seus programas preferidos com a Sofia?

Adoro ficar com ela em casa vendo filme, jogando dominó, fazendo desenho… Adoro nossas conversas no carro na hora que ela vai para o colégio, adoro buscar e levar, enfim, adoro ser mãe, adoro estar em casa para ela. A Sofia é muito talentosa, tem uma voz linda, e não é coisa de mãe coruja porque outras pessoas já me disseram, ela tem um talento musical.

O que mudou da menina que foi eleita miss para a atriz consagrada de hoje?

Muita coisa, minhas responsabilidades mudaram. Dia desses eu li uma frase e concordo. Dizia assim: “às vezes a gente tem que mudar muita coisa pra ser a gente mesmo”. Eu tive que fazer isso, a menina do interior teve que mudar muito para continuar sendo ela, e eu tento manter ela dentro de mim, até no sotaque que eu adoro e nunca vou abandonar.

Qual o segredinho para manter a boa forma e uma vida saudável?

Acho que eu nunca falei isso, mas eu adoro tomar vitamina, tipo vitamina D, que faz bem pra pele, uma época eu tomei betacaroteno que ajudava até a espantar mosquito. Eu não gosto muito de tomar água, pra mim é um sacrifício, mas eu gosto de malhar e fazer esporte. Agora comecei ioga, estou amando. Eu gosto da rotina saudável, sou do dia, à noite eu tenho sono.

Como lida com as redes sociais?

Ainda estou aprendendo a administrar rede social, eu vim do BBB e uma época fui muito criticada por isso, apesar de muita gente assistir até hoje, e a rede social faz um pouco isso, vira quase um big brother, só que a pessoa coloca o que quer. Tudo tem um lado bom e um ruim, né? Tem um acesso mais rápido, é bacana você saber o que está acontecendo do outro lado do mundo, pegar uma referência de quem fez uma viagem ou pegar coisas que estão surgindo culturalmente, de saúde, informações. O lado ruim é que está virando um vício e as pessoas se acham no direito de falar o que querem ali.

Você se incomoda com as críticas?

Não porque eu lido com isso há muitos anos, desde quando era miss, eu leio a crítica e absorvo. Tendo discernimento do lugar que você ocupa dentro da sua família e sabendo quem você é você sabe se aquela vai ser uma crítica construtiva ou só mais um babaca falando m…

Quais os projetos futuros?

Eu gosto de falar quando já está decidido, mas estão surgindo coisas legais, tem novela, tem cinema, muita coisa boa, estou bem feliz.

Uma mensagem para 2019…

Que a gente possa discernir o que é over do que é real, que a gente possa ter mais momentos vividos e menos postados, que a gente diminua esse ódio coletivo que estamos vivendo e transforme em amor, se eu pudesse pediria isso a Deus.

Assista ao vídeo com a entrevista:

Leia também:

Renata Kuerten recorda a infância no interior de Santa Catarina

Catarinense bate recorde de highline urbano em São Paulo

Irmãs lançam marca social para mostrar a força da mulher negra em Florianópolis