Herpes pode ser a causa do Alzheimer, sugere pesquisa

Em uma revisão, pesquisadora encontrou fortes associações entre o vírus e a demência

Alzheimer é o tipo mais comum de demência. Foto: Naeblys-Shutterstock / Reprodução

Uma descoberta promissora pode ser a chave na busca da cura do Alzheimer, doença que afeta mais de 30 milhões de pessoas no mundo. Em uma revisão de mais de 150 publicações, uma pesquisadora da Universidade de Manchester, no Reino Unido, encontrou fortes evidências de que esse tipo comum de demência tem relação com o vírus da herpes.

Conforme Ruth Itzhaki, professora de neurobiologia molecular da universidade, um tratamento efetivo e seguro com drogas antivirais pode ser a resposta para tratar essa doença, até hoje incurável. Além disso, será possível vacinar as crianças contra o vírus.

A pesquisadora explica que o vírus da herpes (HSV1), bastante conhecido pelas feridas que provocam na boca, infecta a maioria das pessoas durante a infância e, depois, fica dormente em uma parte do sistema nervoso. Eventualmente, em situações de estresse, o vírus se ativa e provoca ferimentos labiais.

Há alguns anos, o vírus HSV1 foi encontrado no cérebro de muitos idosos e, depois, foi descoberto que ele conferia um grande risco de Alzheimer em pessoas com um gene específico, chamado de APOE4. Após encontrarem outras evidências, os cientistas acreditam que o vírus da herpes seja um grande fator para o desenvolvimento desse tipo de demência, pois ele entra no cérebro dos idosos à medida que o sistema imunológico diminui. Toda vez que o vírus é ativado, provoca inflamação e danos às células, levando, eventualmente, ao Alzheimer em pessoas com gene APOE4.